segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Salmo 23 - O SENHOR é o meu pastor!

“O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam. Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda. Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR para todo o sempre.”

Davi, rei de Israel, foi o autor deste salmo, Davi agora rei, houvera sido pastor de ovelhas em sua adolescência. Davi inicia o salmo fazendo uma afirmação que só um bom pastor de ovelhas, conhecedor do ofício poderia fazer:

“O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará” indica que Davi sabia que Deus, como pastor de sua vida o guiaria, cuidaria dele, o protegeria, iria lhe suprir em todas as suas necessidades, como um bom pastor o faz com o seu rebanho; Ele continua sua afirmação – Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso;” – mostrando que como um bom pastor procura e leva suas ovelhas a locais onde estas possam se alimentar bem, e beber águas em locais tranquilos, Deus o condizia de mesma maneira.

A partir dai, Davi, fala de maneira mais clara os resultados em sua vida do pastoreio de Deus: “refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.” Deus renovava as forças de Davi, guiando lhe por caminhos certos, como Deus o havia prometido, porque Deus é fiel é cumpre o que promete.

Por conta da presença de Deus em sua vida, ele era encorajado a enfrentar as piores situações e medos em sua vida, assim como a ovelha depende e confia na força do cajado e do seu pastor para a livrar das bocas das feras dos campos, dos abismos e valas existentes no caminho, Davi mesmo já houvera livrado o seu rebanho de perecer na boca de leões e outras feras, desta feita, Davi confiava no Supremo pastor: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam.”

Deus o guardava de tal forma, o dava segurança de tal maneira, que ele se sentia, como sentado numa mesa, onde seus adversários o olhavam ser servido e ser tido por Deus como um convidado de honra, e não apenas isto, mas o suprir além de suas necessidades, enchendo o seu copo até transbordar: Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda.

Ele ainda tem a certeza de que em todos os seus dias ele verá a bondade e misericórdia de Deus em seu viver, verá o seu Bom pastor cuidando dele: “Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida;”

E para finalizar ele prometi viver na casa de Deus, para louvar a Deus em todos os dias de sua vida, para reconhecer que não há outro Deus a quem devemos louvar e exaltar, pois só Ele é digno: “e habitarei na Casa do SENHOR para todo o sempre.”

Que nós possamos ser contados como ovelhas de Deus, rebanho de Cristo, para viver em sua presença a cada dia o servindo e sendo por Ele pastoreado.