terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Celebrar o Natal (sim ou não)?


Hoje o mundo Cristão comemora o nascimento de Jesus, este que "foi o acontecimento mais extra ordinário de todas as eras já vividas" - Rev. Cláudio Henrique (23/12/2012) - Deus, encarna em forma humana, o verbo que é, que era e que há de vir, o soberano, supremo e eterno Deus deixa sua glória e habita no meio de sua criação, cumprindo sua promessa feita a Adão de que enviaria um Messias, alguém capaz de pagar o preço exigido pela Sua própria justiça.


É bem verdade que mesmo os cristãos têm se esquecido do verdadeiro sentido do natal, muitos deles influenciados pela visão mercantil que tem sido grandemente divulgada pela mídia e comércio da atualidade. Papai Noel, árvores, presentes, comidas e bebidas têm desviado de muitos a atenção do mais importante de todos, não apenas por ser Ele o aniversariante, mais por ser o único e verdadeiro Salvador: Jesus!



Por outro lado há Cristãos que sequer se alegram, ou festejam o nascimento do  Reis dos Reis, dAquele que veio ao mundo para os salvar. O medo de se parecerem com aqueles que sem critério, se esquecendo do verdadeiro sentido do Natal, se envolvem em eventos dissolutos, que não glorificam a Deus, acabam se esquecendo de, assim como os anjos fizeram, glorificar a Deus pelo maior presentes de todos.



Natal significa nascimento, neste caso, o do maior de todos os homens, o para todo o sempre bendito Jesus! Se a cada ano nos alegramos por mais um ano de vida que nós e aqueles a quem amamos completam, o que dizer de louvar a Deus e se alegrar pelo aniversário de Seu precioso e único filho, Jesus, o Cristo?



Devemos louvar a Deus pelo cumprimento de Sua promessa, pela salvação que nos foi enviada, pela graça que nos foi concedida nEle, no menino que nasceu numa humilde manjedoura.



É notório também que esta disposição de glorificar a Deus, deve ser algo para todos os dias de nossa vida, afinal esta deve ser a razão de nossa existência, mas sob o pretexto de não se parecer com os ímpios que fazem do dia 25 de dezembro uma data essencialmente comercial,  muitos têm desvalorizado o que esta data representa.



Por isso tudo, neste dia 25 de dezembro de 2012, celebremos o nascimento de nosso Salvador, de nosso redentor, dAquele que veio ao mundo para pagar o preço pelos nossos pecados. Aquele que morreu por mim e por você, Aquele que ressuscitou ao terceiro dia, e que um dia voltará para nos buscar.



A Ele pois toda gloria, majestade, domínio, força e poder, hoje, dia 25 de Dezembro de 2012 e para todo o sempre, amém!



Feliz Natal!


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O Senhor é Deus


O Deus a quem eu sirvo é o Deus que ouve as minhas orações e supri todas as minhas necessidades. Ele me não me trata segundo as minhas iniquidades, mas segundo a multidão de suas misericórdias. Ele me visita no dia da minha aflição e me cobre com suas bençãos de maneira que em meio às tribulações, posso descansar.

Por isto eu te bendirei eternamente. O Senhor ouve a minha voz, escuta o meu clamor e me livra de todos os meus medos.
Louvado e exaltado seja o Teu nome, Deus todo poderoso.

No dia de hoje, já pela manhã, o Senhor graciosamente atendeu a minha oração. Bom é confiar no Senhor, pois Ele, e só Ele, é Deus!

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Amor na criação (João 1:1-3)


João 1:1-3

1 - No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
2 - Ele estava no princípio com Deus.
3 - Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.

O verbo é Jesus, Aquele que morreu na Cruz, Aquele que se entregou por AMOR de nós. Ele estava com Deus quando tudo foi criado, e Ele é Deus. Tudo que foi criado, foi criado por intermédio de Jesus, e sem Ele, nada do que existe, foi feito. Quando Deus disse fiat lux (haja luz), Jesus estava lá sendo instrumento para que Deus criasse as coisas. Quando Deus disse, façamos o homem à nossa imagem e semelhança, foi com Jesus com quem Deus falava.

O importante aqui é perceber que Jesus, na criação já sabia de todas as coisas que iriam acontecer, e mesmo assim resolveu nos criar, pois Ele desejava demonstrar por nós o quanto Ele nos ama. E este amor foi tremendamente demonstrado na Cruz. Jesus pagou o preço, sofreu a nossa morte, para que pudéssemos viver a Sua vida. Seu amor foi tão grande que deu a sua própria vida em nosso favor.

Aplicações: Há momentos em que situações tristes acontecem em nossas vidas, situações de perdas, de dores, de luto, de medo. Nestes momentos, lembre-se de que Deus, está com você, que Jesus nunca te deixará, e que Ele desde o princípio resolveu lhe criar para lhe amar, dando a Sua própria vida, em favor de você. Nestas horas difíceis, se apegue a Ele, pois Ele é amor!

Que Deus seja louvado por seu grande amor.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Carta a Evangélico que Faz Sexo com a Namorada - Por Augustus Nicdemus Lopes


Excelente texto extraído do site http://tempora-mores.blogspot.com.br/


“Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o Maligno.” 1ª João 2:14b

Boa leitura!

Carta a Evangélico que Faz Sexo com a Namorada



[Os nomes foram trocados para proteger as pessoas. Embora algumas circunstâncias mencionadas na carta sejam totalmente fictícias, o caso é mais real do que se pensa...]

Meu caro Ricardo,

Ontem estive pregando em sua igreja e tive a oportunidade de rever João, nosso amigo comum. Não lhe encontrei. João me disse que você e a Raquel, sua namorada, tinham saído com a turma da mocidade para um acampamento no fim de semana e que só regressariam nessa segunda bem cedo.

Saí com o João para comer pizza após o culto e falamos sobre você. João abriu o coração. Ele está muito preocupado com você, desde que você disse a ele que tem ido com Raquel para motéis da cidade e às vezes até mesmo depois do culto de jovens no sábado à noite. Ele falou que já teve várias conversas com você mas que você tem argumentado defendendo o sexo antes do casamento como se fosse normal e que pretende casar com Raquel quando terminarem a faculdade.

Ele pediu minha ajuda, para que eu falasse com você, e me autorizou a mencionar nossa conversa na pizzaria. Relutei, pois acho que é o pastor de sua igreja que deve tratar desse assunto. Você e a Raquel, afinal, são membros comungantes dessa igreja e estão debaixo da orientação espiritual dela. Mas, João me disse que o pastor faz de conta que não sabe que essas coisas estão acontecendo na mocidade da igreja. Como sou amigo da sua família fazem muitos anos, desde que vocês freqüentaram minha igreja em São Paulo, resolvi, então, escrever para você sobre esse assunto, tendo como base os argumentos que você usou diante de João para justificar sua ida a motéis com a Raquel.

Se entendi direito, você argumenta que não há nada na Bíblia que proiba sexo antes do casamento. É verdade que não há uma passagem bíblica que diga "não farás sexo antes do casamento;" mas existem dezenas de outras que expressam essa verdade com outras palavras e de outras maneiras. Podemos começar com aquelas que pressupõem o casamento como sendo o procedimento padrão, legal e estabelecido por Deus para pessoas que desejam viver juntas (veja Mateus 9:15; 24:38; Lucas 12:36; 14:8; João 2:1-2; 1Coríntios 7:9,28,39), aquelas que abençoam o casamento (Hebreus 13:4) e aquelas que se referem ao divórcio - que é o término oficial do casamento - como algo que Deus aborrece (veja Malaquias 3:16; Mateus 5:31-32).

Podemos incluir ainda aquelas passagens contra os que proíbem o casamento (1Timóteo 4:3) e as outras que condenam o adultério, a fornicação e a prostituição (veja Mateus 5:28,32; 15:19; João 8:3; 1Coríntios 7:2; 6:9; Gálatas 5:19; Efésios 5:3-5; Colossenses 3:5; 1Tessalonicenses 4:3-5; 1Timóteo 1:10; Hebreus 13:4; Apocalipse 21:8; 22:15). Qual é o referencial que nos possibilita caracterizar esses comportamentos como desvios, impureza e pecado? O casamento, naturalmente. Adultério, prostituição e fornicação, embora tendo nuances diferentes, têm em comum o fato de que são relações sexuais praticadas fora do casamento. Se o casamento, que implica num compromisso formal e legal entre um homem e uma mulher, não fosse a situação normal onde o sexo pode ser desfrutado de maneira legítima, como se poderia caracterizar como desvio o adultério, a fornicação ou a prostituição? A Bíblia considera essas coisas como pecado e coloca os que praticam a impureza sexual e a imoralidade debaixo da condenação de Deus - a menos que se arrependam, é claro, e mudem de vida.

Você argumenta também que o casamento é uma conveniência humana e que muda de cultura para cultura. Bom, é certo que o casamento tem um caráter social, cultural e pessoal. Todavia, do ponto de vista bíblico, não se pode esquecer que foi Deus quem criou o homem e a mulher, que os juntou no jardim, e disse que seriam uma só carne, dando-lhes a responsabilidade de constituir família e dominar o mundo. O casamento é uma instituição divina a ser realizada pelas sociedades humanas. Embora as culturas sejam distintas, e os rituais e procedimentos dos casamentos sejam distintos, do ponto de vista bíblico o casamento implica em reconhecimento legal daquela união por quem de direito, trazendo implicações para a criação e tutela dos filhos, sustento da casa e também responsabilidades e conseqüências em caso de separação e repúdio. Quando duas pessoas resolvem ir morar juntas como se fossem casadas, essa decisão não faz delas pessoas casadas diante de Deus - mas (desculpe a franqueza), pessoas que estão vivendo em imoralidade sexual.

É verdade que a legislação de muitos países tem cada vez mais reconhecido as chamadas uniões estáveis. É uma triste constatação que o casamento está cada vez mais sendo desvalorizado na sociedade moderna ocidental. Todavia, esses movimentos no mundo e na cultura não são a bússola pela qual a Igreja determina seu norte - e sim a Palavra de Deus. Em muitas culturas a legislação tem sancionado coisas que estão em contradição com os valores bíblicos, como aborto, eutanásia, uniões homossexuais, uso de drogas, etc. A Igreja deve ter uma postura crítica da cultura, tendo como referencial a Palavra de Deus.

O João me disse ainda que você considera que o mais importante é o amor e a fidelidade, e que argumentou que tem muita gente casada mas infeliz e infiel para com o cônjuge. Ricardo, é um jogo perigoso tentar justificar um erro com outro. Gente casada que é infiel não serve de desculpas para quem quer viver com outra pessoa sem se casar com ela. Além do mais, como pode existir o conceito de fidelidade numa união que não tem caráter oficial nem legal, e que não teve juramentos solenes feitos diante de Deus e das autoridades constituídas? Mesmo que você e sua namorada façam uma "cerimônia" particular onde só vocês dois estão presentes e onde se casem a si mesmos diante de Deus - qual a validade disso? As promessas de fidelidade trocadas por pessoas não casadas têm tanto valor quanto um contrato de gaveta. Lembre inclusive que não é a Igreja que casa, e sim o Estado. Naqueles casamentos religiosos com efeito civil, o pastor ou padre está agindo com procuração do juiz.

Não posso deixar de mencionar aqui que na Bíblia o casamento é constantemente referido como uma aliança (veja Ezequiel 16:59-63). Deus é testemunha dessa aliança feita no casamento, a qual também é chamada de "aliança de nossos pais", uma referência ao caráter público da mesma (não deixe de ler Malaquias 2:10-16).

Não fiquei nem um pouco surpreso com seu outro argumento para fazer sexo com sua namorada, que foi "é importante conhecer bem a pessoa antes do casamento". Já ouvi esse argumento dezenas de vezes. E sempre o considerei uma burrice - mais uma vez, desculpe a franqueza. Em que sentido ter relações sexuais com sua namorada vai lhe dar um conhecimento dela que servirá para determinar se o casamento vai dar certo ou não? Embora o sexo seja uma parte muito importante do casamento, o que faz um casamento funcionar são os relacionamentos pessoais, a tolerância, a compreensão, a renúncia, o amor, a entrega, o compartilhar... você pode descobrir antes do casamento que sua namorada é muito boa de cama, mas não é o desempenho sexual de vocês que vai manter ou salvar seu casamento. Esse argumento parte de um equívoco fundamental com relação à natureza do casamento e no fim nada mais é que uma desculpa tola para comerem a sobremesa antes do almoço.

Agora, o pior argumento que ouvi do João foi que você disse "a graça de Deus tolera esse comportamento." Acho esse o pior argumento porque ele revela uma coisa séria em seu pensamento, que é tomar a graça de Deus como desculpa para um comportamento imoral. Esse sempre foi o argumento dos libertinos ao longo da história da igreja. O escritor bíblico Judas, irmão de Tiago, enfrentou os libertinos de sua época chamando-os de "homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo" (Judas 4). Esse é o caminho de Balaão "o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição" (Apocalipse 2:14). É a doutrina da prostituta-profetisa Jezabel, que seduzia os cristão "a praticarem a prostituição e a comerem coisas sacrificadas aos ídolos" (Apocalipse 2:20) e a conhecer "as coisas profundas de Satanás" (Apocalipse 2:24).

Como seu amigo e pastor, permita-me exortá-lo a cair fora dessa maneira libertina de pensar, Ricardo, antes que sua consciência seja cauterizada pelo engano do pecado (Hebreus 3:13). Ainda há tempo para arrependimento e mudança de atitude. A abstinência sexual é o caminho de Deus para os solteiros, e esse estilo de vida é perfeitamente possível pelo poder do Espírito, ainda que aos olhos de outros seja a coisa mais careta e retrógrada que exista. Se você realmente pensa em casar com a Raquel e constituírem família, o melhor caminho é pararem agora de ter relações e aguardarem o dia do casamento. Vocês devem confessar a Deus o seu pecado e um ao outro, e seguir o caminho da abstinência, com a graça de Deus.

Estou à sua disposição para conversarmos pessoalmente. Traga a Raquel também. Estou orando por vocês.

Um grande abraço,Pr. Augustus

terça-feira, 20 de novembro de 2012

A alegria do crente é ultra-circunstancial - Rev. Hernandes Dias Lopes


Recebi esta bela e impactante mensagem em meu e-mail, eu a transcrevo aqui na certeza de que Deus poderá utilizá-la para lhe confortar neste momento em que você vive.

Boa Leitura!

A alegria do crente é ultra-circunstancial


Tiago, líder da igreja de Jerusalém, escreve para as doze tribos da dispersão, gente que estava vivendo no vale do sofrimento, perdendo seus bens e sua liberdade. Para esses crentes fuzilados pelos ventos da perseguição, Tiago traz uma palavra de encorajamento. Destacaremos, aqui, alguns pontos importantes: 

Em primeiro lugar, as provações na vida do crente são necessárias. Tiago escreveu: "Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações (Tg 1.2). Passar pelo vale da prova não significa ausência do amor de Deus. Ser provado não é falta de fé nem expressão de imaturidade espiritual. A prova é diferente da tentação. O inimigo nos tenta para nos enfraquecer; Deus nos prova para nos fortalecer. O inimigo nos tenta para nos derrubar; Deus nos prova para nos transformar. Um atleta só tem um desempenho notório quando se submete à disciplina das provas. Através das provas, Deus vai esculpindo em nós o caráter de Cristo. Por meio do sofrimento, Deus vai nos burilando e nos tornando semelhantes a Cristo, que aprendeu pelas coisas que sofreu.

Em segundo lugar, as provações na vida do crente são variadas. Tiago diz que os crentes passam não por poucas, mas por várias provações. Essa palavra significa "de diversas cores". Há provas amenas e provas severas. Há provas leves e provas pesadas. Há diversas tonalidades de provas. Para cada prova, entretanto, há uma graça especial de Deus que nos capacita a enfrentá-la. Deus não nos prova além de nossas forças. Com a prova, Deus provê também o livramento. As provas não são produto do acaso, mas têm sua gênese na soberana providência divina. Mesmo quando o diabo e suas hostes lançam seus dardos inflamados contra nós, Deus transforma essas situações em bênção para nós. Podemos afirmar, com uma convicção inabalável: "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Rm 8.28). 

Em terceiro lugar, as provações na vida do crente são passageiras. As provas vêm e vão, mas nós prosseguimos em nossa jornada rumo ao céu. Cruzamos desertos tórridos, descemos a vales escuros, escalamos montanhas íngremes e atravessamos pântanos perigosos, mas mesmo sangrando nossos pés nesse caminho estreito, marchamos resolutamente rumo à bem-aventurança eterna. Nós nos alegramos não por ficarmos nas provas, mas por passarmos por elas. 

Em quarto lugar, as provações na vida do crente são propositais. O projeto de Deus é nossa maturidade espiritual. A provação produz perseverança e a perseverança tem como objetivo sermos perfeitos e íntegros, em nada deficientes (Tg 1.3,4). Não há maturidade espiritual sem prova. Não há fortalecimento das musculaturas da nossa alma sem exercício. Somos provados para sermos aprovados. A fornalha das provações queimam apenas nossas amarras. Deus nos predestinou para sermos conformes à imagem do seu Filho e Deus está trabalhando em nós, transformando-nos de glória em glória, na imagem de Cristo. O cinzel de Deus é a prova. As provações tem como propósito nos desmamar das glórias deste mundo e colocar nossos olhos na recompensa eterna.

Em quinto lugar, as provações na vida do crente são enfrentadas com toda alegria. Não somos como os estoicos que acreditam num destino cego. Não vivemos debaixo do rolo compressor das circunstâncias ir remediáveis. Nossa vida é governada pelas mãos daquele que está assentado na sala de comando do universo e governa o mundo. Alegramo-nos não no sofrimento da prova, mas na convicção de que Deus está no controle de toda e qualquer situação e utilizará até mesmo a nossa dor para o nosso bem final. Afirmamos, portanto, com entusiasmo, que a alegria do crente é ultra-circunstancial.

Rev. Hernandes Dias Lopes

terça-feira, 13 de novembro de 2012

O meu Deus é o Deus vivo...

"Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir." Isaías 59:1

O Deus a quem eu sirvo, Ele houve e atende às minhas orações, Ele se compadece de mim, olha para mim com misericórdia, Ele me acalma, me fazendo perceber que Ele está no controle de minha vida e de todas as situações nas quais estou envolvido.

Nem sempre estas situações são agradáveis, nem sempre passo por ela com sorriso no rosto, muito pelo contrário, em muitas delas, a dor é tão tremenda que chego a chorar.

Mas não há como negar, que em todas elas, Deus sempre esteve comigo. Ele é quem chega para mim e me fala:

Samuel, a minha mão, não está encolhida e nem surdo o meu ouvido para que não o possa ouvir. Por isso, meu filho, descanse em mim. Jesus, ainda completa, lembre-se de que eu não polpei a minha própria vida, antes me entreguei por amor de você.

Obrigado Jesus, por poder confiar no teu amor, fidelidade, bondade, graça e misericórdia.

Nestes momentos de dificuldade que Te louvar, e proclamar que o Deus a quem eu sirvo, é um Deus vivo!

Glórias a Ti, Jesus!

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Estamos em guerra

Numa guerra quem mais sofre não são as autoridades, os líderes ou mesmos os soldados, mas as crianças. 

Quem não se lembra da menina Kim Phuc,  vietnamita que foi fotografada nua, chorando, toda queimada, numa das mais épicas fotos de guerra já registradas. As crianças sofrem com a perda de seus lares, seus sonhos, suas vidas, sua esperança, sua infância. Esta é a dura realidade da guerra.

No Brasil não há guerra como a que houve no Vietnã, ou mesmo como a que ocorre agora na Síria, embora o trânsito, o tráfico de drogas, a corrupção, a saúde e a segurança púbica nos imponha um ambiente de guerra. Mas no Brasil, neste exato momento, há uma guerra sendo travada. Esta guera a despeito de não apresentar claramente suas armas, têm de igual forma, destruído lares, sonhos, vidas e a infância de muitas crianças: A guerra contra a família.

Vivemos uma época de total perversão dos valores morais. Na atualidade vestido de um hipócrita "politicamente correto", vemos a família, a célula central de uma sociedade sadia, ser atacada. A família é indiscriminadamente atacada por todos os tipos de açoites: A liberação sexual, feminismo, homossexualidade, relativismo ético, entre outras filosofias que têm sido divulgadas e impregnadas nas mentes das pessoas como solução para caos em que a própria sociedade caminha.

O Casamento é apresentado como modelo falido por novelas, filmes, revistas, jornais, e outros tantos meios de mídia. As pessoas são levadas a torcer para que o mocinho, traia a sua esposa (neste caso sempre a vilã), com a mocinha bonita, de origem pobre, mas muito batalhadora. E com o mote de que o que importa é ser feliz, as pessoas, de maneira egoístas e egocêntricas, tomam suas decisões sem levar em consideração as consequências que isto trarão a elas mesmas, aos outros, e principalmente às crianças.

O golpe mais recente dado pela maior emissora de televisão de nosso Brasil, foi a clara apologia a bigamia ou poligamia. (Já escrevi em outros textos sobre o mal que a mídia tem feito a nós, e como ela nos manipula)

Mas voltando a guerra e suas consequências, vejo hoje nos rostos de algumas crianças a tristeza, e em suas atitudes o fruto de um processo de separação entre seus pais. Para mim, não há nada mais triste do que ver  o olhar desapontado, perdido e desesperançoso de uma criança que vê seus pais em processo de separação. Eu me lembro que aos 13 anos, quando os pais de um grande amigo meu se separaram, eu chorei como se fossem os meus pais que estivessem passando por aquele processo, pois comumente estava na casa dele, e tinha um respeito grande pelo seus pais.

É pura balela a falácia de que a criança, quando seus pais se casarem novamente ganharão mais um pai e uma mãe. Não foi assim que Deus determinou!!! A criança não precisa e não quer dois pais e duas mães, ela precisa de um pai e uma mãe que a ensine a servir a amar a Deus, lhe ensine a amar e respeitar o próximo, ela precisa de um lar ajustado, com um ambiente sadio, onde ela possa crescer segura. Os governantes, a sociedade, eu e você devemos lutar por isto.

Estamos em guerra, a família está em guerra, uma guerra silenciosa, mas que tem roubado de nossas crianças a sua infância. E assim, caminhando cambaleante, a sociedade vai se deteriorando, sem valores, sem referencial, sem norte.

Neste contexto de guerra, só nos resta ir para o combate, de posse das armas que temos, a Bíblia, palavra de Deus, lâmpada para os nossos pés e luz para o nosso caminho. De posse de uma cosmovisão bíblica, de posse de uma postura coerente entre o que cremos e fazemos, devemos nos lançar contra estes ataques, tentando influenciar este Brasil, e o mundo.

O silêncio nestas horas é tão maléfico quanto a ação daqueles que tem covardemente atacado à família.
Afinal alguém já disse sabiamente: "O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons".

Que Deus nos ajude neste luta, pelo bem das nossas crianças, por uma sociedade menos doente e caótica, e principalmente para a glória do nome de Deus.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Ainda sobre o poder da mídia

Ainda sobre o tema: O poder da mídia, recomendo a leitura do artigo publicado no blog católico Canção Nova.

Neste artigo o professor Felipe Aquino traz importantes citações sobre os malefícios da TV em nossos dias, inclusive com um mea culpa do Walter Clark, falecido em 1997, fundador e ex-diretor da TV GLOBO.

Além disto o artigo nos incita a sair da passividade, atuando como freio desta mazela que ajuda deteriorar ainda mais a já destruída sociedade brasileira.

Segue o link.

Que Deus nos use como sal da terra.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

O poder da mídia


Tive o privilégio de lecionar sobre o tema: O poder da mídia, e é impressionante perceber o quanto a mídia, especialmente a televisiva, tem ditado e imposto valores e costumes sobre a vida das pessoas, sobre a sociedade.

Na aula tivemos excelentes participações, uma em especial, me fez aprender e perceber algo muito sutil que ocorre: quando a Rede Globo, em suas novelas, tem algo que eles querem passar como normal, além de colocar seus atores para vivenciar aquilo, o jornalismo dela procura e expõe essas situações em alguns raros, mas reais casos. A estratégia é influenciar mostrando que o que os atores estão vivendo é algo normal que acontece.

A manipulação é grande, e a estratégia mais utilizada é a de mostrar situações anormais, como normais. Eles massificam a ideia a expondo várias vezes (em novelas diferentes), e de tanto as mostrar, acabam criando o sentimento em seus telespectadores de natural.

Vivemos num país corrupto, numa sociedade corrupta, mas como ser diferente? Eu não me lembro de uma novela brasileira que não mostrou pessoas se corrompendo, roubando as outras, brigando para tomar os bens dos outros. Sob o hipócrita argumento de que estão mostrando a realidade, as novelas ensinam como enriquecer mesmo que de maneira ilícita.

O desserviço para a sociedade é tremendo, além de atacar a principal célula de uma sociedade sadia: a família; as novelas, em sua maioria, apregoam, o divórcio, o adultério, o sexo sem responsabilidade, a libertinagem, a vida fácil, a homossexualidade, a bigamia, entre outras coisas, que ferem a ética e os bons costumes.

Em seu blog, o professor Felipe Aquino, coloca com um dos fatores para o alarmante crescimento do número de estupros no Brasil, a nociva ação da mídia, impressa, da internet e televisiva ao sexo "fácil, seguro" e eu ainda acrescentaria sem consequências.

Sem contar na clara inclinação ao misticismo e ao espiritismo, atacando o Cristianismo, sempre o mostrando de forma caricata pessoas que têm a fé cristã, enquanto estas religiões orientais são colocadas como virtuosas.

Há quem tenha se levantado contra estes abusos e desserviços, embora, por falta de educação e aqui falo de instrução e senso crítico, a maioria das pessoas vão consumindo a porcaria que lhes são veiculadas.

Em 1993, o falecido Cardeal, Dom Lucas Moreira Neves publicou, no JORNAL DO BRASIL, um famoso artigo sobre a televisão brasileira. Com o título de J’ACCUSE! (Eu acuso), Dom Lucas afirmava, entre outras coisas:

“Eu acuso a TV brasileira pelos seus muitos delitos. Acuso-a de atentar contra o que há de mais sagrado, como seja, a vida…”. “Acuso-a de disseminar, em programas variados, ideias, crenças, práticas e ritos ligados a cultos os mais estranhos. Ela se torna, deste modo, veículo para a difusão da magia, inclusive magia negra, satanismo, rituais nocivos ao equilíbrio psíquico.”
“Acuso a TV brasileira de destilar em sua programação e instalar nos telespectadores, inclusive jovens e adolescentes, uma concepção totalmente aética da vida: triunfo da esperteza, do furto, do ganho fácil, do estelionato. Neste sentido merece uma análise à parte as telenovelas brasileiras sob o ponto de vista psicossocial, moral, religioso [...]
“Qual foi a novela que propôs ideais nobres de serviço ao próximo e de construção de uma comunidade melhor? Em lugar disso, as telenovelas oferecem à população empobrecida, como modelo e ideal, as aventuras de uma burguesia em decomposição, mas de algum modo atraente”.
“Acuso, enfim, a TV brasileira de instigar à violência: A TV brasileira terá de procurar dentro de si as causas da violência que ela desencadeou e de que foi vítima [...]”.
E assim caminha nossa nação, nossa sociedade, enquanto nós literalmente assistimos às novelas, aos BBBs, e tantos outros programas que nada edificam, pelo contrário, trazem a nossa mente ilusões e enganos.

Não quero com este texto pregar o isolamento, ou mesmo a radicalidade que já houve em algumas denominações cristãs de proibir os seus fiéis de assistir televisão, contudo é importante que estejamos alerta, atentos e com um apurado senso crítico para selecionar a programação de TV a que assistimos. Como afirmou o Professo Leandro Lima, em seu livro de teologia bíblica, Cristãos no Século 21 - Os dilemas e oportunidades da época atual, dar audiência a programações nocivas, é entre outras palavras, concordar com o que se está sendo nocivamente transmitido.

Por fim, incentivo a você que me ler, a se voltar para a bíblia, ela sim, traz os valores e princípios, não só para um sociedade sadia, mas para uma vida plena, cheia de satisfação nAquele que é o nosso Salvador, Jesus Cristo, o Senhor. A Ele sejam dadas: A glória e a honra, hoje e sempre, amém!

"Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento." Filipenses 4:8

Tetelestai



Está consumado, está pago, está quite, está finalizado...
Estas são algumas das expressões que traduzem esta palavra falada por Jesus Cristo na cruz. Aleluia, está terminado, Jesus, cumpriu sua missão, atendeu à justiça de Deus, pagou o preço pelos nossos pecados, e com isto nos resgatou...

Você não está conseguindo entender bem? Deixa eu te explicar!

Deus criou o homem para o louvor de Sua glória, infelizmente o homem preferiu se rebelar contra Deus, e pecou comendo da árvore do conhecimento do bem e do mal. A partir dai o homem morreu, não que o homem tenha deixado de viver sobre a terra, mas morreu para o bem, visto que todo o desígnio dele passou a ser mal. O homem em si, por mais que tentasse, não conseguia agradar a Deus, ou mesmo fazer por merecer a Salvação.

Para satisfazer a justiça de Deus, que já havia dito que o salário do pecado é morte, precisava um justo morrer, e este justo, foi o único filho de Deus, Jesus.

Jesus veio ao mundo, andou e viveu aqui, depois de 33 anos, Ele foi morto, e morte de cruz. O Justo morrendo pelos injustos, nesta hora de agonia e dor, nesta hora de tensão, Jesus olha para o céu, e consciente que do que estava fazendo, ele brada: TETELESTAI!!!

Jesus me amou, não porque em mim, tivesse algo de bom, não porque eu seria uma pessoa honesta ou coisa parecida, mas Ele me amou pelo soberano conselho de Sua vontade. Jesus me amou tanto que deu a sua própria vida em pagamento pelos meus pecados.

Jesus me amou! Glória a Deus! TETELESTAI! Está pago. A minha dívida foi paga por Jesus. Agora eu posso me aproximar de Deus por sua mediação, posso me achegar a Deus e chamar-lhe Pai.

O que me cabe agora é glorificar a Jesus, o meu salvador, Aquele que disse TETELESTAI!!!

TETELESTAI, Aleluia!

Deus é o criador do universo

Alguém já disse que: quanto mais os cientistas estudam, mais certeza se tem que a disposição de tudo no universo favorece a vida na terra. Outros dizem que se o sol estivesse numa distância da terra diferente, mesmo que pequena, não haveria vida na terra.

Respeitados cientistas confirmam através de cálculos e probabilidades que não há possibilidade de sermos resultado do acaso. A grande questão é, por que a ciência como um todo não admite a existência do Criador?

Romanos 1:20-22 vai nos responder:
"Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis; porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos,"
Deus se revela ao homem seus atributos através de coisas visíveis:
"Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos."Salmos 19:1

Mas o homem preferiu não glorificar a Deus, e obscureceram seus corações e mentes para não reconhecer Aquilo que seus olhos vêem.


É preciso mais fé para acreditar que todas as coisas existentes são fruto do acaso, do que acreditar foi resultado de uma criação intencional. Já li que acreditar que o Big bang gerou tudo que existe é o mesmo que acreditar que depois de se jogar uma bomba em um ferro-velho, após milhares e milhares de anos teremos uma Ferrari movida a energia solar

Uma vez que entendemos que somos fruto de uma criação intencional, só nos cabe glorificar ao Deus criador, Aquele que fez tudo conforme o conselho de Sua Soberana e Santa vontade. 

Que o Deus criador, nos abençoe.

Sugiro a leitura da entrevista com o Dr. Karl Heinz. Ele é engenheiro de eletrônica, graduado e pós-graduado (mestrado) pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Obteve seu doutorado em engenharia elétrica pela Escola Politécnica Federal de Zurique, na Suíça. Atualmente é professor no ITA. Sua área de especialidade chama-se Sistemas e Controle, a parte da engenharia diretamente relacionada à automação. Ele é membro da Igreja Batista em São José dos Campos.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

O que lhe faz chorar?

Ultimamente tenho chorado mais vezes, tenho chorado e ficado triste pelos meus pecados, pela minha natureza caída e corrupta, tenho chorado por ver o quão vil eu sou. Mas choro de alegria também por ver o amor, a graça, o perdão, a misericórdia, a bondade, a paciência, o cuidado que Jesus tem por mim. Porque o seu amor é incondicional, a sua graça é imensa, o seu perdão é completo, a sua misericórdia se renova a cada manhã, a sua bondade é parte integrante de sua essência, sua paciência é muito grande, o seu cuidado é perfeito. Como não chorar, emocionado, por ver tanto amor, por tão pouco (eu).

Mas choro e fico triste também ao ver as pessoas sofrendo, gostaria de não os ver assim, choro por vê-las caminhando distantes de Deus, sem esperança, sem significado. Choro por ver que embora sejamos mais de 30% de evangélicos no Brasil, temos vivido um cristianismo de menos de 1% de verdade. Nossa nação continua sendo uma das mais corruptas do mundo, resultado de um povo sem educação, sem valores bíblicos, sem qualquer apego e temor a Deus. Quando compramos um CD pirata, quando compramos algo sem nota, só para pagar menos, quando ultrapassamos em lugar proibido, quando negociamos a verdade, entre tantas outras coisas, desagradamos a Deus, ferimos à Sua santidade, e por isso, diante de Deus, somos indesculpáveis.

Mas ai, novamente eu choro e me alegro, por saber que apesar do que eu sou, Jesus se entregou para morrer em meu lugar. Choro e fico triste por saber que o sofrimento que Ele passou, era para eu sofrer, que o meu pecado lhe causaram mais dores do que os pregos que lhe cravaram as mãos e os pés. Eu choro e me alegro por saber que apesar de merecer ser condenado, Jesus me salvou. Aleluia!!!

No entanto, agora chorando, oro a Deus, pedindo que me ajude a lhe ser fiel, me ajude a seguir a sua palavra e a ser sal da terra e luz do mundo, como Ele, através de seu Glorioso Filho nos disse.

Choro agora, alegre e triste, mas sei que um dia não mais chorarei, pois para o céu irei, e por isso, chorarei feliz agora lutando para me santificar, para viver de maneira agradável ao meu amado Deus. Chorarei feliz em cada passo que eu der, na árdua luta contra a minha própria natureza, lutando para ser um homem segundo o coração de Deus.

O que lhe faz chorar?

"Bem-aventurado os que choram, porque serão consolados" Mateus 5:4

Que Deus nos abençoe

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Até breve vovós

Neste ano perdi duas pessoas que me sustentavam em oração, minhas queridas avós, Alice e Jeslia, a quem Deus me deu o grande privilégio de conhecer, conviver e aprender sobre como viver uma vida de oração e com esperança sempre no Senhor.

Embora com muitas saudades e com uma lacuna que aperta o coração e fazem os olhos marejarem, estou feliz por saber que elas estão com Cristo, o que é incomparavelmente melhor.

Abaixo o acróstico que minha avó Jeslia fez para mim assim que eu nasci

S   erei um servo do Senhor,
A   ssim minha mãezinha falou,
M  eu paizinho afirmou.
U   m Samuel da Bíblia
É    assim que eu vou ser,
L   eal ao meu Senhor enquanto eu viver

Obrigado Jesus pelas minhas avós, sei que em breve as verei, quando estarei também em Tua presença.

terça-feira, 19 de junho de 2012

...Agradecê-Lo por tudo que fez por mim


Recebi essa mensagem e é exatamente assim que me sinto todos os dias.


"Depois de um dia cansativo, nada como voltar para casa. Após uma semana de correria, nada como descansar em casa. E no fim de uma vida de lutas e dificuldades? Os filhos de Deus também querem voltar para casa.



A Igreja Perseguida anseia pelo céu. É lá que suas tribulações terão fim. É lá que suas lágrimas serão definitivamente enxugadas. É lá que encontrarão os parentes e amigos que morreram por amor a Cristo. É lá que conhecerão os irmãos desconhecidos que os suportaram em oração e se associaram a eles em sua tristeza. E, é lá que verão Jesus face a face, aquele pelo qual foram perseguidos aqui na terra. Ao serem recebidos pelo Pai, ouvirão: "Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco; eu o porei sobre o muito. Venha e participe da alegria do seu senhor!" (Mateus 25.21). Naquele momento, tudo terá valido a pena.



E você, o que espera encontrar no céu?"



Eu espero reencontrar o meu amado esposo e abraçá-lo. Espero abraçar o Senhor Jesus e agradecê-lo por tudo que fez por mim.

Suênia Moura de Lyra Barreto

Em janeiro de 2011, Suênia, grávida de 2 meses e meio, perdia seu esposo, que falecera 2 meses após dar entrada na UTI com Leucemia Mieloide. É doloroso saber o quanto ela sente falta de seu amado. Mas é consolador ver o que Deus fez e tem feito na vida de outras pessoas através de seu testemunho.

Que Deus continue nos sustentando até o dia em que Ele virá nos buscar.

domingo, 6 de maio de 2012

Doença Letal... Mas há cura!

Um pesquisador, médico e químico buscava desesperadamente a cura para uma doença fatal. Em busca da cura desta terrível doença, gastava horas e horas, trabalhando a fio, sem parar, muitas vezes, nem para se alimentar.

Determinado a salvar vidas, ele gastava quase todos os seus dias nesta busca. Sua esposa muitas vezes reclamava pelo fato dele não lhe dar muita atenção, nem a ela e nem ao seu filho. Mas ele estava tão determinado a achar a cura que não perdia o foco desta desgastante busca.

Certo dia, atendendo aos constantes pedidos do seu filho, ele o permitiu o acompanhar ao centro de pesquisas. O menino muito curioso brincando com os tubos de ensaio se feriu, angustiado, seu pai, fez-lhe logo um exame, para verificar se o vírus letal havia entrado em sua corrente sanguínea.

O médico ainda angustiado constatou que, apesar de ter localizado a presença do vírus, o corpo do seu filho de alguma forma combatia o vírus, não sendo afetado pela ação dele. Entusiasmado, pediu ao filho, que ainda chorava pela primeira furada, e pelo corte que houvera sofrido, para lhe tirar um pouco mais de sangue. O menino chorando lhe pediu:


- Papai, dói muito, por favor, não me faça passar por isto novamente.

Seu pai o explicou:

- Filho, isto é para salvar a vida de muitas pessoas.

O filho chorando e com medo, concordou em ceder mais uma porção do seu sangue para análise. Seu pai foi tirando o sangue dele, até que seu pai vibrou, pois finalmente descobrira a cura para tão letal doença. Seu Filho, seu único filho o havia dado a cura. Todavia, logo, ele preocupado se entristeceu, pois para curar as pessoas ele precisaria de mais sangue do seu filho, e pela demanda seu filho, certamente, pela tenra idade, não suportaria a perda de tanto sangue.

O pai, chorando, explica ao filho que, também chorando, diz ao seu pai:

- Tá certo papai, eu dou a minha vida por estas pessoas.

Eu já ouvi esta história de várias maneiras, esta história não é verdadeira, embora se assemelhe muito com história verdadeira: A história do que Deus nos fez através de Cristo Jesus. Deus em sua palavra nos revela o seu amor:

"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3:16

Saiba de uma coisa: todos nós estamos com uma doença letal: O PECADO. E resultado dele em nossas vidas é a MORTE ETERNA. E só há uma cura para esta doença: JESUS CRISTO, só a fé nEle, na Sua morte e ressurreição é capaz de salvar o homem.

Você pode até se considerar uma pessoa boa, você pode até fazer coisas boas, você pode até achar que não precisa deste remédio, mas sem Ele, eu e você estamos perdidos. Por isso, agora mesmo, não perca tempo, reconheça-se doente e carente do MARAVILHOSO REMÉDIO que é JESUS. Entregue sua vida a Ele, pois só Nele há salvação.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Louvar a Deus é uma atitude do coração

 
Ronaldo Lidório

É comum observar que alguns que muito tem, com abundância e mais do que precisam, por vezes permanecem em contínuo murmúrio pelo que julgam ainda lhes faltar. Nada lhes é suficiente. Outros, mesmo tendo pouquíssimo, o pouco que tem lhes basta para encher o coração de louvor e agradecimento a Deus.
Isto nos leva a uma percepção bíblica de que o louvor não é definido pelas circunstâncias da vida, mas pela atitude do coração.

O Salmo 34 é um convite ao louvor e à maturidade espiritual. Nele o salmista manifesta o seu compromisso de louvar ao Senhor em “todo o tempo”(v.1).

Louvar ao Senhor ao ganhar o que se desejou, ao ter o pedido atendido ou ao ser surpreendido por uma ótima notícia não exige nada especial do nosso coração. A proposta bíblica, porém, é bem mais ampla: é louvar a Deus em “todo o tempo”, no dia bom e também no dia mau, em plena saúde e nos dias de enfermidade, quando aplaudido ou quando criticado, ao receber uma resposta positiva do Senhor ou quando Ele nos fecha um caminho que desejávamos seguir.

Louvar a Deus em “todo o tempo” implica em reconhecer que todos os planos do Senhor são planos de amor. Que, de fato, todas as coisas cooperam, de alguma forma que pouco compreendemos, para o bem dos que sinceramente amam a Deus, e isto nos basta. Louvar a Deus em “todo o tempo” implica também em reconhecer que as circunstâncias da vida, mesmo as mais difíceis, possuem algum motivo de louvor.

Neste salmo não encontramos um cenário de perfeição que nos leva ao louvor, mas um louvor que é proferido na realidade da vida que possui seus desafios realistas e constantes. Os versos 4, 5 e 6 nos falam sobre temores, angústicas e prisões. O verso 8 nos leva, entretanto, ao reconhecimento de que além das cores que pintam o presente cenário da nossa vida, Ele é bom. Somos conduzidos não apenas a compreender a Sua bondade, mas a experimentá-la: “provai e vede que o Senhor é bom”! Deus não é apresentado como aquele que realiza atos de bondade, mas como aquele que é bom em sua essência. É da natureza de Deus ser bom.

Alguns passam por angústias e tornam-se murmuradores. Outros passam por angústias e reconhecem a bondade do Senhor. A diferença está na atitude do coração.

O louvor a Deus combate também a ansiedade da alma.Depressões, ansiedades, fobias e temores são as enfermidades do nosso século. Jamais tantos medicamentos foram produzidos e consumidos para estes problemas emocionais como hoje. Neste salmo vemos que, ao lidar com o louvor, pacificamos também nossos corações. No verso 1 ele nos fala sobre a alegria, no 2 sobre a libertação de nossos temores e no 5 da libertação das nossas angústias. Louvar a Deus alegra o coração do Pai e também pacifica a nossa alma, uma vez que reconheço que minha vida está nas mãos daquele que, em todas as coisas, é bom.

Em 1873 um navio francês, o Ville de Havre, seguia da costa leste americana para a Europa. Entre os passageiros encontravam-se a senhora Spafford e seus quatro filhos, esposa de um cristão piedoso, jovem advogado de Chicago. Nesta viagem o navio sofre um acidente e vem a naufragar, morrendo quase todos os tripulantes. Dias de desespero se seguem com a ausência de notícias para as famílias dos desaparecidos em alto mar. Finalmente o senhor Spafford recebe um telegrama comunicando que sua esposa foi encontrada ainda com vida, mas estava só. A mensagem sobre a perda de seus quatro filhos lhe aflige a alma. Ele chora e lamenta. Depois senta-se e escreve a letra de um hino que se tornaria conhecido em todo o mundo: “It is well with my soul” (Está bem a minha alma), conhecido como “Sou feliz com Jesus”. Nele ele diz:

Se paz a mais doce me deres gozar
se dor a mais forte sofrer
Oh, seja o que for, Tu me fazes saber
Que feliz com Jesus sempre sou

O louvor a Deus não é definido pelos marcadores da nossa história,mas sim pela bondade do Senhor que vai além das linhas do horizonte do entendimento da vida. Louvar a Deus é reconhecer que a Sua bondade será sempre maior do que qualquer tragédia que possa se abater sobre nossa existência. É cantar a Sua bondade nos dias de luz e alegria, e não deixar de fazê-lo nos dias de neblina forte e cores cinzas. Sua bondade é maior que a vida.

Um dia, em luz plena e eterna, cantaremos a Sua bondade, em “todo o tempo”. Não precisaremos de fatos da vida para fazê-lo. A Sua presença nos bastará.

(Extraído do site http://www.ronaldo.lidorio.com.br)

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Salmo 142 - Com a minha voz clamo ao Senhor...


"Ao SENHOR ergo a minha voz e clamo, com a minha voz suplico ao SENHOR. Derramo perante ele a minha queixa, à sua presença exponho a minha tribulação. Quando dentro de mim me esmorece o espírito, conheces a minha vereda. No caminho em que ando, me ocultam armadilha. Olha à minha direita e vê, pois não há quem me reconheça, nenhum lugar de refúgio, ninguém que por mim se interesse. A ti clamo, SENHOR, e digo: tu és o meu refúgio, o meu quinhão na terra dos viventes. Atende o meu clamor, pois me vejo muito fraco. Livra-me dos meus perseguidores, porque são mais fortes do que eu. Tira a minha alma do cárcere, para que eu dê graças ao teu nome; os justos me rodearão, quando me fizeres esse bem."

Davi escreveu este salmo quando estava na caverna. Davi aquele que outrora, no poder de Deus, enfrentara um gigante com ousadia, com alegria, com força, com confiança, e o vencera, agora está com medo, fugindo, com o espírito desanimado, se sente como um animal a quem os caçadores têm posto armadilha. Davi que antes não precisou de nada e ninguém para enfrentar Golias, uma vez que rejeitou usar a armadura do rei Saul, este mesmo homem está agora olhando para a sua direita para ver alguém que o possa ajudar, no entanto ele não acha.

Neste momento, Davi se reconhece incapaz, se reconhece dependente de Deus, reconhece que o socorro vem do Senhor. E embora ainda ele esteja com medo, ele entrega os seus temores a Deus. Ele sabia que Deus é poderoso para o livrar. 

Talvez você esteja como Davi, se sentindo fraco, desamparado, sozinho e atemorizado... Talvez seja o desemprego, a doença, as dívidas, os problemas familiares, os inimigos, eu não sei, mas lembre-se de Deus sabe e que quando seu espírito esmorece, Ele conhece sua vereda.

O interessante é que os problemas da vida servem, entre outras coisas, para nos aproximar de Deus, para reconhecermos nossa fraqueza, nossa dependência dEle.

Ao passar por momentos assim, faça como Davi. Confie e entregue os seus temores a Deus. 

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

“Buscai o SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.”

 

Reflexão sobre Isaías 55:6

Que alerta! Que grande alertar este! Muito urgente, pertinente e atual. Urgente pois não sabemos o dia de amanhã: Estudos revelam que mais de 200 mil pessoas morrem subitamente por ano, apenas nos Estados Unidos1. É pertinente pois somos seres eternos, a bíblia nos ensina de que Deus plantou a eternidade2 em nossos corações, que nos fez a Sua imagem e semelhança, de maneira que, embora nosso corpo não seja eterno, nossa alma o é. E por fim atual pois como o próprio texto nos alerta, o momento de buscar é agora, o momento de ouvir a voz de Deus é o tempo presente.

O alerta nos traz um aviso perturbante: Haverá um tempo que as pessoas desejarão procurar mas não será possível mais acha-Lo, O invocarão, mas Ele não estará mais perto. Por isso o tempo de buscar é hoje, é agora, não deixe para amanhã, pois talvez não haja amanhã para mim ou para você.

Nossa vida é como uma sombra3, passa muito rápido, para alguns como o meu amado e saudoso cunhado, Jaimerson (32 anos), para outros nem tanto, mas o fato é que nenhum de nós sabe quando será o nosso fim. Nenhum de nós pode garantir que chegará ao final deste ano de 2012, deste mês de Janeiro, ou mesmo do dia hoje vivo.

Por isso não perca tempo, ouça a sua voz4, abra a porta do seu coração para Ele entrar5 e que Deus use de misericórdia na sua vida!

Que Deus lhe abençoe

1 www.arritmiacardiaca.com.br/p_entendendo13.php

2 “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim.” Eclesiastes 3:11

3 “Com efeito, passa o homem como uma sombra; em vão se inquieta; amontoa tesouros e não sabe quem os levará.” Salmos 39:6

4 “Não endureçais, agora, a vossa cerviz, como vossos pais; confiai-vos ao SENHOR, e vinde ao seu santuário que ele santificou para sempre, e servi ao SENHOR, vosso Deus, para que o ardor da sua ira se desvie de vós.” 2 Crônicas 30:8

5 “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo.” Apocalipse 3:20

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

O TEMPORA! O MORES!

Não é de hoje que eu digo e ouço alguém dizer: Vivemos uma época sem valores éticos, morais. Mas vejo que também hoje vivemos a época da falta de critério, falta de pensamento crítico, somos levados, somos conduzidos, engolimos todo tipo de lixo que nos empurram pela mídia.

Enquanto a massa se sacia com histórias sobre um estupro em um programa televisivo, ou ainda se encanta, se envolve com a divulgação de uma história sem qualquer significado prático de uma moça que está num país norte-americano, perdemos a oportunidade sermos críticos, inteligentes, agentes de transformação.

Certa vez, li um comentário de jovem de 15 anos criticando o dono de um famoso site de humor sobre sua longa resposta a uma pessoa, isto porque o dono do site havia escrito 4 ou 5 parágrafos com uma sensata orientação.

Veja o comentário:

“M. R. você tem que entender que no seu site entra gente que nem eu, que tem 15 anos de idade e está na época dos vídeos. Quando eu vi aquele seu comentário gigante de hoje, nem li.”

A resposta ao comentário foi crítica, mas brilhante:

“Nunca uma frase expressou tão bem a maior ameaça ao futuro do Brasil.”

Mas fico ainda mais preocupado ao ver que, mesmo entre os cristãos, o referido programa televisivo ou mesmo a história da moça que estava lá, que veio e que voltou, há maior divulgação do que a mensagem do evangelho.

Fico espantado ao ver no FACEBOOK de adolescentes, jovens e até adultos, servos do Senhor Jesus, o desperdício de tempo com assuntos tão banais, com coisas que não edificam. Não quero dizer que isto está errado, que é pecado, que estou imune a isto, mas me pergunto sempre, o que será Paulo quis dizer ao escrever?

“Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm; todas são lícitas, mas nem todas edificam.” I Coríntios 10:23

Para mim, o cerne da questão é que não temos vivido conforme Deus nos orienta em Sua Palavra, pois será que estamos postando mensagens no FACE, no TWITTER, ou em qualquer outra rede com o intuito de glorificar a Deus?

“Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.” I Coríntios 10:31

O meu desejo e oração é que Deus nos desperte, o Seu povo, a que vivamos em tudo, na realidade, virtualidade, enfim, em todas as áreas de nossa vida para a glória de Deus. Que aprendamos a filtrar aquilo que edifica daquilo que não!

Que Deus nos abençoe!

Observação: A expressão O TEMPORA! O MORES! Significa: Que tempos os nossos! E que costumes! [Cícero] e foi extraída do site http://tempora-mores.blogspot.com/

domingo, 22 de janeiro de 2012

Todos os recifes

Navio

Certo dia interpelaram um experiente capitão de um grande e belo navio transatlântico sobre os perigos que existem nas costas dos países. O indagaram sobre o seu conhecimento e sua experiência e o fato dele nunca ter tido um acidente com nenhum dos muitos navios que ele guiou. Uma das perguntas foi:

- O senhor conhece todos os recifes espalhados pela costa dos países?

Ele sabiamente respondeu:

- Não, nem é preciso que eu os conheça, me basta conhecer o canal e navegar sempre nele.

A Bíblia, a palavra de Deus, é nossa única e suficiente regra de fé e prática, se navegarmos por ela, não nos acidentaremos, e nem precisaremos conhecer caminhos que não são indicados por ela.

“Bem-aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos!”
Salmos 128:1

Conta corrente com Deus

“Tão-somente, pois, temei ao SENHOR e servi-o fielmente de todo o vosso coração; pois vede quão grandiosas coisas vos fez.” 1º Samuel 12:24

Certo homem resolveu abrir um livro de contas correntes com o Senhor. De um lado escrevia tudo o que Deus fazia para ele. Se um amigo o ajudava, o encorajava, ele escrevia num lado. Se adoecia e Deus o curava, ele tomava nota, e enfim anotava todas as misericórdias e favores diários que Deus lhe concedia. Do outro lado, ele escrevia tudo o que ele mesmo fazia para Deus. Mas afinal ele resolveu desistir do seu livro de conta correntes, dizendo: “É inútil, não posso obter balanço. Fico sempre devendo a Deus.”

Todos nós podemos contar esta mesma história. As bençãos de Deus têm sido abundantes sobre nós, e nunca poderemos pagar a sua bondade e o seu amor por nós.

“Conta as bençãos, conta quantas são, recebidas da divina mão; vem dizê-las, todas de uma vez, e verás surpreso quanto Deus já fez”

Extraído de um velho livro de ilustrações, cujo autor não é mencionado.

Mesmo que você esteja sofrendo, mesmo que a dor e a morte estejam batendo a sua porta, mesmo que o desemprego, a insegurança, a injustiça estejam gritando ao seu lado, lembre-se de que o nosso Deus é com aqueles a quem ama. Lembre-se de que Ele não poupou a vida de Seu próprio filho, antes O entregou para que tivéssemos vida.

Se entregue hoje a Ele e você verá que “grandiosas coisas vos fez.”

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Nem para a direita e nem para a esquerda

Atualmente vivemos épocas difíceis, o relativismos tem invadido e destruído os fundamentos base dos valores morais, éticos e de fé. Hoje em dia não existe mais valor, a questão é, se me faz bem, não importa mais nada.

E neste egocentrismo humanista, o homem tem se emaranhado com suas próprias cadeias, achando que o fato de não se submeter a vontade de Deus o faz uma pessoa livre. Ledo engano!

“e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32

Do outro lado temos aqueles que se, numa pseud. busca na Palavra de Deus, criam leis e jugos, menosprezando o sacrifício de Cristo, o substituindo por sacrifícios humanos, como se pela sua própria força ou apego, o homem pudesse se salvar.

Mas isto não é novo, na época do apóstolo Paulo, havia uma discussão na igreja para que os gentios fizessem a circuncisão, Paulo chega a repreender a Pedro, que outrora aceitou o fato dos gentios não se circuncidarem para fazer parte da igreja visível de Cristo, mas pressionado pela chegada de outros Judeus, cedeu à pressão e se afastou daqueles gentios, com quem outrora ele havia inclusive ceado junto.

“Quando, porém, Cefas veio a Antioquia, resisti-lhe face a face, porque se tornara repreensível. Com efeito, antes de chegarem alguns da parte de Tiago, comia com os gentios; quando, porém, chegaram, afastou-se e, por fim, veio a apartar-se, temendo os da circuncisão. E também os demais judeus dissimularam com ele, a ponto de o próprio Barnabé ter-se deixado levar pela dissimulação deles. Quando, porém, vi que não procediam corretamente segundo a verdade do evangelho, disse a Cefas, na presença de todos: se, sendo tu judeu, vives como gentio e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus? Nós, judeus por natureza e não pecadores dentre os gentios, sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Cristo Jesus, também temos crido em Cristo Jesus, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois, por obras da lei, ninguém será justificado. Mas se, procurando ser justificados em Cristo, fomos nós mesmos também achados pecadores, dar-se-á o caso de ser Cristo ministro do pecado? Certo que não! Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, a mim mesmo me constituo transgressor. Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim. Não anulo a graça de Deus; pois, se a justiça é mediante a lei, segue-se que morreu Cristo em vão.” Gálatas 2:11-21

Paulo exorta a Pedro, e a nós hoje para que não negligenciemos a obra suficiente de Cristo, pois a Sua obra foi completa, e por isso não nos é necessário nada além da fé nEle para que sejamos salvos:

“E é evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé.” Gálatas 3:11

Está claro, se nos dedicarmos ao estudo das escrituras, que entenderemos que devemos praticar as boas obras, que a fé em Cristo não exclui a nossa responsabilidade de que elas devem ser praticadas para que:

1) O nome de Deus seja glorificado:

“Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.” Mateus 5:16

2) Para a nossa felicidade e bem:

“Bem-aventurado o que acode ao necessitado; o SENHOR o livra no dia do mal.” Salmos 41:1;

“Aleluia! Bem-aventurado o homem que teme ao SENHOR e se compraz nos seus mandamentos.” Salmos 112:1

“Bem-aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos!” Salmos 128:1 

3) Para não sermos castigados por Deus:

“Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.” Gálatas 6:7

“Porque o SENHOR repreende a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem.” Provérbios 3:12

4) Para demonstrarmos o nosso amor a Deus:

“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele.” João 14:21

Por fim, faço o mesmo apelo que foi escrito no livro de Provérbios:

“Filho meu, atenta para as minhas palavras; aos meus ensinamentos inclina os ouvidos. Não os deixes apartar-se dos teus olhos; guarda-os no mais íntimo do teu coração. Porque são vida para quem os acha e saúde, para o seu corpo. Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida. Desvia de ti a falsidade da boca e afasta de ti a perversidade dos lábios. Os teus olhos olhem direito, e as tuas pálpebras, diretamente diante de ti. Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam retos. Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal.” Provérbios 4:20-27

Que Deus nos conduza e nos mantenha caminhando sempre em Seus caminhos.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Você iria?

Certo dia durante o almoço, conversava com um amigo sobre a maravilhosa graça de Deus demonstrada através da salvação em Cristo Jesus, conversávamos sobre o fato de Deus ter nos escolhido, assim como sobre o fato de não termos nenhum mérito ou valor para fazer merecer o amor de Deus.

De repente, ele me externou a sua preocupação com um outro amigo nosso que lhe falou que se Jesus voltasse agora, por conta da maneira como ele vinha vivendo ele não iria para o céu.

Apesar de entender a preocupação dele, depois de o ouvir explicar que ele houvera animado o irmão a seguir em frente, a buscar mais a Deus, eu o fiz a seguinte pergunta:

- Silveira, se Jesus voltasse agora, neste exato momento, você iria para o céu com Ele?

Nesta hora ele baixou sua cabeça, ponderou por alguns instantes e me disse entristecidamente:

- Eu acho que não, não, não iria!

O que aconteceu com Silveira é que ele olhou para a sua vida, olhou para as suas ações procurando méritos pelos quais ele pudesse ser considerado digno…Graças a Deus ele não achou.

Para mostrar-lhe a grandeza da graça de Deus eu lhe disse que eu iria! E ele tentando penetrar o meu pensamento, me olhou intrigado, e eu logo lhe expliquei:

- Silveira, você se lembra que é pela graça? Não é por méritos amigo. Eu olho para a minha vida e vejo o mesmo que você viu na sua, eu não vejo nada que me faça merecedor da salvação. Mas quando eu olho para Cristo, o meu Suficiente Salvador, vejo e descanso que a Sua obra foi e é suficiente para me salvar. E é por isso que apesar do que sou, eu procuro agir de maneira a agrada-lo, de maneira a demonstrar o quanto eu O amo, pois Ele me amou primeiro.

Finalmente, eu contei a ele uma história que ele já conhecia, a história da passagem do Anjo da Morte pelo Egito, a história da 10ª praga:

- Silveira, quando o Anjo da Morte passou pelo Egito, Ele não entrou nas casas cujos umbrais estavam lambuzados com o sangue de um cordeiro. Ele não parou para analisar se lá haviam pessoas santas ou não, Ele simplesmente olhou para os umbrais das portas. De mesma forma, no dia da volta de Cristo, Deus não olhará para a minha vida, mas para o sangue de Jesus lambuzado nos umbrais do meu coração. Desta forma em Cristo a minha salvação é garantida.

Por fim, felizes com a percepção da maravilha da graça de Deus, nós recitamos juntos Efésios 2:8-9

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.”

E nos lembramos ainda de Romanos 8:38-39

"Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor."

A pergunta agora é para você, você iria?

Que Deus lhe abençoe e aplique a Sua palavra ao seu coração.

 

Observação: Silveira é um nome fictício deste meu amigo, servo de Deus, um rapaz apegado a Jesus, que tem se dedicado ao serviço de Deus. Tenho o privilégio de trabalhar com ele na mesma empresa.

Um dia triste, uma maravilhosa notícia



Era um dia triste, o sol não brilhava, havia um pesar no ar, o vento soprava despretensiosamente sem sua habitual força, haviam algumas nuvens no céu, mas nada que indicasse a vinda de um temporal. Os pássaros percebendo algo incomum, se recolheram aos seus ninhos, e neste dia não entoaram qualquer cântico. Os peixes se aquietaram em suas pequenas cavernas marinhas, como acuados por grande predador. As flores murcharam, não permitindo que ninguém sentisse os seus perfumes.
De repente lá vai vem Ele cercado de pessoas a lhe maldizer, subindo lentamente Ele dava cada passo com muita dificuldade, em Seu rosto a marca do sofrimento e das dores pelas quais Ele havia enfrentado, nada comparável ao que Ele ainda passaria. Muitos ao O verem daquela forma indagaram: Como pode? Por que Ele não reage?
Estou falando de Jesus, o meu Salvador, o Eterno, o Santo, o Justo, o Majestoso, o Maravilhoso, o Cheio de Graça e Glória, o Supremo, o Soberano, o que é, que era e que há de Ser, o Rei dos reis, o Senhor dos senhores, o Onipotente, Onisciente, Onipresente, o que morreu, mas que ressuscitou.
Ele não reagiu, embora pudesse, Ele não se negou a pagar o preço que eu devia, Ele não se poupou de todo o sofrimento que era para mim, Ele não deixou de morrer a morte que estava reservada a mim, simplesmente porque me amou.
Oh Senhor Jesus, eu Te louvo pelo Teu amor para comigo, porque Tu te fizeste nada para que eu, que nada sou, pudesse ser chamado filho de Deus. Sofreste para que eu pudesse desfrutar de bênçãos eternas ao Teu lado.
Jamais terei que passar pela Morte Eterna, porque Tu a vencestes por mim, fizesse algo que nem eu, nem ninguém, senão Tu, poderia fazer.
Louvado seja o teu nome eternamente.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

2012 (Ano novo, planos novos)

 

2012, ano novo, é hora de analisar o que fizemos em 2011, e de refazer o nosso planejamento. Fazemos planos, escolhemos novos sonhos a perseguir, decidimos mudar coisas em nossas vidas que consideramos que não foram bem.

Fazemos diversos planos, planos para continuar no emprego, para mudar de emprego, para montar uma empresa, para casar, para se separar (espero que este não seja o seu plano), plano para ter um filho, para fazer um curso, para tirar um diploma, para tirar férias, para viajar, para cuidar mais da sua família… São tantos planos, tantos sonhos.

Fazemos isto, via de regra, porque o ano novo nos traz um sentimento de recomeço, um sentimento de que podemos e devemos fazer melhor as coisas do que fizemos no ano que se passou.

Ao pensar em que planos faria para 2012, me lembrei de uma conversa que tive com um amigo com quem trabalho atualmente, na ocasião de nossa confraternização, ele, de maneira simples, nos instruiu a nos lembrarmos de que deveríamos fazer planos segundo a vontade de Deus. Planos para estar mais perto de Jesus, andando de maneira mais agradável a Ele.

A partir daquele dia me voltei ao planejamento, pensando em como poderia ser mais achegado a Deus, como poderia utilizar minha vida mais a serviço de Deus e menos em serviço dos meus próprios interesses.

Medidanto ainda sobre este tema, me lembrei de alguns versículos bíblicos que nos ensina que podemos fazer planos, que é Deus que vem aquilo que de fato acontecerá:

“O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do SENHOR.” Provérbios 16:1

A Palavra de Deus ainda nos ensina que apenas os planos de Deus é que não podem ser frustrados, mas os nossos:

“Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado.” Jó 42:2

Mas a Biblia também nos ensina que quando confiamos a Deus as nossas obras, Ele nos ajuda fazendo com que as coisas aconteçam:

“Confia ao SENHOR as tuas obras, e os teus desígnios serão estabelecidos.” Provérbios 16:3

Por isso decidi fazer meus planos confiando plenamente em Deus, almejando o agradar através da realização deles. E assim eu tenho certeza, baseado na palavra de Deus, que Ele mesmo realizará os meus sonhos.

Feliz 2012.