segunda-feira, 20 de abril de 2009

Onde tudo começou

Era um tempo de escuridão, as trevas imperavam sobre a multiforme ou disforme soma de águas e vazio. Neste ambiente o Espírito de Deus pairava. Neste momento, Deus, pelo simples poder de sua palavra, chama à existência as coisas ainda não criadas. Deus fez os céus, as estrelas, os planetas e todas as galáxias, fez a terra, os mares e tudo o que neles abita, fez por fim, a coroa de sua criação, o homem, um ser feito à sua imagem e semelhança, criou a mulher, e os pôs num lindo jardim, com tudo o que eles precisavam para se relacionarem entre si, e com Ele. Por fim Deus lhes disse: “De tudo que há no jardim, vocês podem comer, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, não comam, pois no dia em que vocês comerem, certamente morreram.” O homem e a mulher, se deixando seduzir pela serpente, comem do fruto, e por conta disto, morrem. São expulsos do jardim, e a partir daí vivem, suas vidas, dores, ilusões e temores. Carentes de um Deus que tenha misericórdia, que os amem de maneira incondicional, que os perdoe, que os salve.

Uma pergunta que os ateus fazem neste momento é: Se Deus é onisciente, então Ele sabe de tudo. Se Ele já sabia que o homem iria pecar, por que ainda assim resolveu o criar?

Embora a finalidade desta pergunta, na maioria das vezes, não seja realmente obter sua resposta, mas colocar os cristãos em uma “rua sem saída”, pois se o cristão responder que Ele não sabia, está negando a onisciência de Deus, se responder que ele sabia, talvez coloque em cheque a bondade de Deus, pois seria melhor que Ele não houvesse criado o homem. A resposta para esta pergunta é simples e lógica:

O amor de Deus, o amor que se dá pelo fato de ter Cristo morrido por nós, quando nós éramos pecadores, inimigos de Deus;

A Sua misericórdia, que é não dar ao homem aquilo que ele merece, pois o salário do pecado é a morte. A Sua ira nos seu furor e seu castigo era devido, mas Deus resolveu nos dar a sua misericórdia;

A Sua graça, que é Deus nos dar aquilo que não merecemos, ou seja Deus nos deu a salvação, quando merecíamos condenação, nos deu a sua misericórdia, quando merecíamos a sua ira.

O Seu perdão, em Cristo, nós somos perdoados, todos os nossos pecados, o que pensamos, o que desejamos, o que fazemos, o que falamos, que muitas vezes ofende e fere a santidade de Deus, isto é perdoado em Cristo Jesus, para todo aquele que nEle crê.

A resposta para a pergunta, é esta, nós só conhecemos estes atributos de Deus, pelo fato dEle ter permitido que o homem tomasse a decisão de pecar. Embora a responsabilidade pelo seu pecado seja toda do homem, Deus permitiu que isto acontecesse para que Seu nome fosse glorificado.

Há ainda o aspecto que a mente humana é limitada, e tentar entender o Deus infinito, em sua plenitude, a partir desta mente limitada é algo impossível.

Deus seja para sempre louvado, por meio de Cristo, amém!