segunda-feira, 28 de abril de 2008

"aquele que semeia pouco, também colherá pouco"

Reflexão
Lembrem-se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente. ( II Coríntios 9.6)
O Apóstolo Paulo estava exortando a Igreja de Corinto, sobre uma oferta que ele havia orientado fosse recolhida, para atender aos irmãos de Jerusalém que estavam numa situação difícil.
Era um momento de perseguição. Havia muitos refugiados em outras cidades e paises, e a fome se alastrava. Paulo dedica todo o capítulo 9 da sua II carta aos Coríntios a tratar desse tema.
Quando chega no versículo 6 e faz uma afirmativa que parece humana e óbvia, mas é sobretudo, profunda e divina: Lembrem-se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente.
É interessante que Paulo usa uma ação comum de seus dias, a agricultura, para ilustrar um pensamento referente ao reino de Deus. É como se hoje eu usasse as expressões deletar, acessar, para ilustrar algo que quisesse transmitir, nesse caso estaria usando a linguagem da internet.
Muito bem, mas qual é o ponto de Paulo? Ele simplesmente está afirmando: se você investir pouco, plantar pouco, semear pouco, você vai colher pouco. É isso. É uma lei. Se eu investir pouco, vou ter pouco retorno. Seja no fundo DI, na poupança, seja em ações. Da mesma maneira, se um agricultor semear apenas 1 kg de feijão, ele só colherá o equivalente a 1 kg de feijão. Agora se ele semear 1 saco de 60 quilos de feijão, irá ter uma colheita maravilhosa, correspondente a 1 saco de feijão de 60 quilos de feijão.
Vamos trazer isso para o campo espiritual. Como é que eu vou querer ter vitórias, crescimento espiritual, abundância de vida, alegria, gozo, paz; se eu estou semeando pouquinho.
Como é que eu vou querer colher vitórias, ter sucesso na vida, ter uma vida espiritual vitoriosa, vencer as ciladas do inimigo, não cair nas tentações, ter uma 'minhas orações respondidas, se eu planto bem pouquinho? Isto não vai acontecer! Isto é uma lei: Lembrem-se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente.
Analisemos juntos. Eu me acordo, não falo com Deus. Não coloco diante dEle meus projetos, minhas angústias, minhas necessidades. Durante o dia sequer lembro de adorá-LO, dizer que sou feliz por que Ele me salvou. Passa segunda, terça, quarta, quinta. Na sexta me organizo, faço minhas programações, saiu com os amigos. Não lembrei durante a semana de dizer ao Espírito Santo de Deus que Ele é bem-vindo em minha vida e por habitar no meu corpo, na minha mente, no meu coração. Chaga sábado, vou para a praia, para o clube, saio mais uma vez com os amigos ou com meu namorado ou namorada ou esposo, ou esposa.
Quando chega o domingo acordo cansado e não tenho coragem de ir a Igreja pela manhã, não vou pra minha classe de escola dominical. E aí você quer ser abençoado, ter vida vitoriosa, ser um campeão da fé?
Esquece...isso nunca irá acontecer. E sabe porque? Lembrem-se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente.
É simples. Você está semeando pouco, e vai colher pouco...muito pouco! E o pior. Os dias vão passando e chegará o momento que você precisará colher, mas não haverá nada plantado? Como colher, se você não plantou?
Portanto, caia na real: Lembrem-se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente.
Reflita sobre isso. Vai lhe fazer um bem e uma grande diferença, afinal... aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente.
Quer ter uma vida vitoriosa... invista no Reino.
Deus o guarde em seu amor. Deus lhe ama e quer abençoa-lo.
Josimar Henrique

Soberania de Deus

Caros amigos, ontem pela manhã tivemos uma excelente aula sobre a imutabilidade de Deus, foi um momento muito interessante onde aprofundamos o conhecimento de nosso Deus. Aprendemos que Ele, seus decretos e suas promessas são imutáveis. Aprendemos que a imutabilidade de Deus é uma das garantias de nossa salvação.

Uma história, e para ser mais específico, uma frase me marcou bastante ontem: O professor já no final da aula contou que na última semana de vida de sua mãe, ela estava internada no hospital e lutava pela vida. Os médicos tentavam de todas as formas fazer com que ela prevalecesse. Certo momento, estavam o professor Wilson e seu pai no corredor do hospital, quando o médico, sensibilizado com a situação os tentou animar, dizendo-lhes: A medicina está fazendo tudo o que pode. O pai de Wilson, agradecendo a tentativa do médico, emendou: A medicina faz tudo o que pode, mas Deus faz tudo o que quer.

Com este posicionamento, Wilson e seu pai testemunharam sobre a fé que têm num Deus que a tudo governa. E Deus o faz de maneira soberana. Ele é imutável, seus projetos, planos e sua essência não mudam. E é por isso que Wilson e seu pai, mesmo com saudades, puderam demonstrar que confiavam plenamente no Senhor.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Cuidado boquinha no que fala!

Já ouvi esta expressão diversas vezes, mas nos últimos dias ela tem ecoado em minha mente tantas vezes...

Fui fazer uma pesquisa sobre a palavra "língua" na Bíblia, no Antigo Testamento, para ser mais exato. Achei preciosos tesouros sobre a sabedoria, o poder e sobre o que a falta de controle sobre o que se fala pode trazer.

Um versículo do livro de provérbios me chamou a atenção:

"O que guarda a sua boca e a sua língua, guarda das angústias a sua alma." Provérbios 21:23

Fiquei pensando sobre o que seria guardar a boca, e guarda a língua, guardar a alma. Seria o mesmo que dizer que aquele que é mudo, não sofre?

Não, de fato, sou inclinado a pensar que Salomão, um dos homens mais sábios que este mundo já conheceu, quis colocar que aquele que preserva, que limita, que trava, que pondera, que se cala quando o orgulho nos impulsiona a falar, que este consegue novamente, preservar, limitar, travar os sofrimentos que nos são peculiares enquanto seres humanos, vivendo num mundo que jaz no maligno.

De fato em minha vida, já vivi diversas situações tristes, constrangedoras e até de perigo pelo fato de não ter posto em prática este versículo. Em muitos momentos o mais sábio é se calar, em muitos momentos é melhor “perder para ganhar”.

Num certo dia, li no jornal uma notícia muito triste: Um homem bateu com o seu carro no carro de um outro, e chateado da vida desceu e começou a dizer uma série de palavrões e xingamentos. Após alguns instantes o homem que ouvia os xingamentos, sacou uma arma e deferiu vários tiros no que o ofendia, fugindo do local do crime logo em seguida. Embora entenda que a violência desta ação não possui qualquer justificativa, tenho convicção que se o mesmo tivesse decido carro e tratado com o outro cidadão com sabedoria, o desfecho provavelmente tivesse sido outro.

É importante ressaltar que a minha convicção se baseia em dois versículos bíblicos (“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.” “Pela longanimidade se persuade o príncipe, e a língua branda quebranta os ossos.” Provérbios 15:1 e 25:15).

Para finalizar, há uma música que canto com meu filho que me lembra estes versos: "Cuidado boquinha no que fala, cuidado boquinha no fala, é o Salvador do céu que está olhando pra você, cuidado boquinha no que fala."

Um forte abraço!