segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Papai estou com medo

Papai estou com medo! Esta foi a frase que escutei de minha filhinha de apenas 2 anos, quando ela viu de perto, pela primeira vez um cachorro de uma casa onde nos hospedamos neste início de ano. Estar em meus braços para ela, era o que lhe passava segurança, era algo que lhe restaurava a paz, que lhe trazia sorriso ao seu belo e doce rostinho.

2016 fora um ano difícil, perdas, lutas, derrotas, lágrimas foram constantes neste ano que há pouco se encerrou. E neste início de ano, as circunstâncias, levam meu coração a dizer: Papai (do céu) estou com medo!

São tantos desafios, tantas lutas, tantas decisões a tomar que fico com o coração apertado... Mas eu sei em quem tenho crido, eu sei que Deus cuida de mim, que Ele me amou, a ponto de enviar Seu único filho para morrer em meu lugar, mesmo sendo eu quem sou.

Diante do teu amor, Senhor, sinto-me carregado em Teus braços, e posso sorrir, sentindo segurança, mais do que a que a minha filhinha sentiu em meus braços, pois, por mais amor que eu a tenha, não posso salva-la de todos os seus temores, mas Tu ó Deus és o nosso refúgio e fortaleza, socorro em meio às tribulações.

"Em ti, pois, confiam os que conhecem o teu nome, porque tu, SENHOR, não desamparas os que te buscam." Salmos 9.10

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Bem feito!

“porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.” Romanos 6.23

            Bem feito! Quem mandou fazer isto! Recebeu o que merecia! Achei foi pouco! A justiça foi feita! Quem planta, colhe! Estas são algumas expressões que dizemos ou ouvimos quando vemos um ladrão se dando mal, vemos um político corrupto sendo preso, quando ficamos sabendo de alguém que intentou o mal e acabou sofrendo do mal que intentara. Quando era criança gostava de assistir a um desenho em que havia dois personagens: Um coiote e um papa-léguas. O coiote preparava os mais mirabolantes planos para pegar o papa-léguas, mas ele sempre se dava mal, seus planos, mesmo contrariando a lógica, davam sempre errado.

            O pecado trouxe consigo a morte, e esta morte não é apenas a física, mas especialmente morte espiritual. A consequência, o pagamento, a recompensa, a paga pelo pecado é a morte eterna. E depois de adão, todos nós, eu e você, estamos debaixo desta condenação. Fadados a morrer, a ir para o inferno, a perecer longe de Deus, recebendo Sua Santa e Justa ira.

            Mas, porém, contudo, todavia, entretanto Deus “contrariou a lógica”: Ele enviou seu filho, Jesus Cristo, o JUSTO, para pagar o preço que era meu e seu. A culpa pelo pecado não foi isentada, foi paga e bem paga, vicariamente paga por Cristo na cruz do calvário, e agora, de graça recebemos, eu e você, que cremos nEle como Senhor e Salvador, a vida eterna, e não apenas isto, mas já aqui neste mundo tenebroso podemos desfrutar da paz que Cristo dá.
            Por isso, devemos com gratidão, nos abstendo das vontades da nossa carne, vivermos para o louvor de Sua glória, dando sempre graças a Deus por tudo, por meio de Jesus.


“E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.” Efésios 5.18-21

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Herança do Senhor são os filhos...

“Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão.” Salmos 127.3

Filhos são uma benção na vida de um casal, são presentes de Deus, mas eles não nos pertencem, pertencem a Deus, o que nos cabe é cuidar, proteger, instruir, admoestar, disciplina-los em amor, e zelar para que eles cresçam fortes, saudáveis, tanto na fé quanto em outras áreas, contudo, lembremo-nos sempre de os colocar aos pés de Jesus, clamando para que Deus, lhes impute no coração a fé em Seu filho, nosso Salvador.

Para isto nós pais devemos nos esforçar e nos esmerar na tarefa de ensinar aos nossos filhos sobre quem é Deus, quem nós somos, ensinando-lhes através da exposição das Escrituras. Devemos transmitir a eles a tocha da fé, falando-lhes de tudo quanto Deus realizou no passado e tem realizado no tempo presente.

Devemos inculcar em suas mentes os ensinos bíblicos, falando com eles de manhã, ao levantar, à noite, ao nos deitar, quando vamos andando no caminho, colocando nos umbrais das portas de nossas casas, revelando a Cristo através de nossas atitudes e decisões.

O nosso exemplo deve “arrastar” nossos filhos para perto de Jesus, eu não posso querer que meu filho tema a Deus mais do que eu. É claro que Deus pode o encher do Espírito Santo, e lhe fazer ser um homem 100 vezes mais fiel do que eu sou. Oh Senhor como me alegro em sonhar com meus filhos te servindo e te honrando! Mas a responsabilidade é nossa. Não podemos nos eximir da responsabilidade de imprimir em seus corações a fé que temos!

E que Deus seja gracioso e nos ajude nesta tarefa, pois somos pecadores e imperfeitos, que o Santo Espírito nos capacite a esta preciosa, mas maravilhosa obra.


“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.” Provérbios 22.6

terça-feira, 26 de julho de 2016

Só contemplando...

“Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos.” Salmos 19.1





“Eu sou o SENHOR, o vosso Santo, o Criador de Israel, o vosso Rei.” Isaías 43.15

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Perdoa-me ó Deus

“Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões; nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de iniquidade; mas oferecei-vos a Deus, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça.” Romanos 6.12-13

Não se pode servir a dois senhores, pois há de se agradar a um e desagradar ao outro, portanto é possível dizer que ou servimos a Deus, ou servimos a nossa própria natureza carnal e corrompida. Ao qual destes dois “senhores” você se submete? A quem você tem entregue cada parte de seu corpo?

Faça um teste em sua consciência, faça uma análise em sua vida: Por onde andam seus passos? O que fazem as suas mãos? Quais são as palavras que têm saído de sua boca? Em quais coisas seus olhos estão fitos, quais são os pensamentos que permeiam sua mente? Quais são os sentimentos e motivações do seu coração?

Ao sondar minha própria vida, diante da santidade de Deus, vejo como realmente sou. “Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?” Romanos 7.24

Já escrevi sobre a minha condição em outro momento (LINK ). Sei da minha incapacidade de sozinho por isso clamarei ao Espírito Santo, para que Ele me conduza de maneira que eu entregue-me completamente a Deus, a fim de que eu glorifique e agrade aquele a quem amo e desejo servir. Clamarei como fez o salmista, compadece-te de mim o Deus...


“Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões. Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.” Salmos 51.1-3

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Qual é a necessidade disto?

“E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança.” Romanos 5:3-4

Minha cunhada ao ver uma situação inusitada faz uma celebre pergunta: Qual é a necessidade disto? Este talvez seja o questionamento de muitos crentes ao passarem por provações: Mas Senhor qual é o objetivo desta situação em minha vida? Temos algumas certezas em nossa vida e uma delas é que passaremos por tribulações. Mas qual é a necessidade disto?

A Bíblia nos ensina em Romanos que as tribulações produzem uma cadeia de frutos em nossas vidas. Deus que já nos tem provado o Seu grande amor para conosco, enviando Jesus para morrer em nosso lugar, e a assim nos reconciliou consigo mesmo, nos dando a paz (Romanos 5.1), só nos permite passar pelas tribulações porque deseja que alcancemos o alvo: Sermos semelhantes ao Seu Filho, Jesus, nosso Salvador.

Pois a tribulação produz perseverança, semelhante a Jesus que perseverou no propósito de cumprir a vontade de Deus. A perseverança por sua vez nos traz experiência, nos tornando crentes maduros preparados para responder a quem nos perguntar a razão da nossa fé. E a experiência produz esperança que nos alegra e nos faz ansiar pela bendita volta de Cristo, nos faz amar menos as coisas deste mundo e amar mais estar com Cristo (Filipenses 1.21)

Se você está enfrentando tribulações, provações, se a doença sobreveio sobre você, se foi o desemprego, a crise financeira, o seu casamento está esfacelado, se você olha para a sua vida e não vê nada com que você possa se alegrar, se você luta, mas não consegue se libertar dos vícios, ou daquele pecado que tenazmente o assedia, se você está fatigado, se você está cansado, se você está desanimado, confie em Jesus, que deu a Sua vida por amor de você, entregue-se ao Senhor, nosso Deus, pois Ele é um socorro bem presente nas tribulações, nas tribulações.


“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações.” Salmos 46.1

terça-feira, 19 de julho de 2016

A culpa foi minha!

“mas também por nossa causa, posto que a nós igualmente nos será imputado, a saber, a nós que cremos naquele que ressuscitou dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o qual foi entregue por causa das nossas transgressões e ressuscitou por causa da nossa justificação.” Romanos 4.24-25

Como sofreu meu salvador. Jesus foi a cruz, mas antes disto, deixou sua glória, nasceu numa manjedoura fétida, num local onde os animais dormiam, comiam e faziam suas necessidades. O Rei dos reis, se fez carne, e a si mesmo se humilhou, passou fome, sofreu dores, sentiu-se cansado, foi rejeitado, carregou a cruz, recebeu a ira de Deus, foi moído e desprezado, Ele então morreu. De quem foi a culpa?

Ele fez tudo isto por amor a mim, por causa dos meus pecados, por conta das minhas transgressões. O castigo que estava reservado para mim, caiu sobre Ele. Ele mesmo se dispôs a paga-lo em meu lugar. Ele se entregou à justiça de Deus por minha causa. A culpa foi minha!

Mas louvado e exaltado seja Deus que não deixou seu filho na morte, mas ao terceiro dia, como houvera prometido, O ressuscitou dentre os mortos, entregando a Ele as chaves da morte, exaltando o Seu nome, o colocando acima de todo o nome. Jesus ressuscitou, aleluia!!!

E agora temos a viva esperança, a nossa esperança, portanto, não é vã. Ele morreu, mas ressuscitou, palavras não podem expressar a grandeza de Sua glória. Ele subiu aos céus e está agora à direita de Deus, o Pai, que é bendito para sempre. Ele intercede por nós, colocando a Sua justiça em nosso favor, por isso agora, antes culpados, somos justificados por Cristo, aleluia, amém!


“Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós” Romanos 8.34