sexta-feira, 31 de outubro de 2008

É PELA GRAÇA!

Um pastor, amigo querido e servo do Senhor escreveu esta pastoral e gentilmente me permitiu divulgá-la.

Graças a Deus pela sua graça!

Boa leitura, Samuel Lyra.


Hoje, 31 de outubro, enquanto muitos – até mesmo alguns evangélicos – celebram o Halloween – dia das bruxas, muitas igrejas se reúnem para agradecer a Deus por algo que se tornou um marco da nossa história.
Em 31 de outubro de 1517, Lutero afixou na porta da Igreja do Castelo de Wittemberg as suas 95 teses, que posteriormente dariam início a grande Reforma Protestante da qual somos herdeiros há 491 anos.
Um dos principais pilares da Reforma Protestante é a Salvação pela Graça. Na época a igreja estava vendendo a salvação por meio das indulgências. Desta maneira, a salvação do homem não dependia mais da graça de Deus, mas poderia ser adquirida por meio do dinheiro. Com isso, a salvação poderia ser alcançada pelo esforço humano.
Contudo, Lutero e os demais reformadores entenderam pelas Escrituras que após a queda, o homem ficou totalmente incapacitado de salvar-se. O pecado causou a morte espiritual, conforme afirma o apóstolo Paulo: “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados” (Ef. 2:1). Esta morte atingiu não apenas Adão, mas também toda a sua descendência, conforme nos diz o salmista: “todos se extraviaram e juntamente se corromperam: não há quem faça o bem, não há nenhum sequer” (Sl. 14:3).
Assim a conclusão dos reformadores foi que o homem está completamente incapacitado de produzir a sua própria salvação. Por mais que ele se esforce, jamais poderá salvar-se. Assim como um morto depende de alguém para ressuscitá-lo, assim como um escravo depende de outrem para libertá-lo, assim como um condenado depende de alguém para justificá-lo, da mesma forma o pecador depende inteiramente da graça de Deus para ser salvo da perdição eterna. É justamente isto que afirma o apóstolo Paulo ao dizer: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé: isto não vem de vós, é dom de Deus” (Ef. 2:8).
Nenhum homem merece a salvação. O melhor que o homem produz é insuficiente para salvá-lo do seu estado de perdição. Contudo Deus oferece salvação de graça por meio do seu Filho, Jesus Cristo. Portanto, a graça é um favor imerecido. É Deus oferecendo salvação ao perdido, vida aos mortos, liberdade aos cativos. Graça é o ato pelo qual o Deus soberano se inclina para socorrer o miserável pecador. Graça é o ato pelo qual Deus oferece aquilo que o céu tem de melhor para salvar aquilo que o mundo tem de pior.
Nos dias atuais, quando tantos vivem orgulhosamente tentando alcançar a salvação por meio de suas obras. É necessário que a igreja fale a verdade, que pregue contra o orgulho humano, mostrando que o homem confiando nos próprios méritos está completamente perdido.
Mais do que nunca, é preciso que a igreja pregue com amor, força e autoridade a doutrina da salvação pela graça.

Deus nos abençoe!

Rev. José Roberto

Nenhum comentário: