sexta-feira, 24 de maio de 2013

Aprender a viver

No mundo atual há duas filosofias que influenciam a nossa maneira de viver:

1) Narcisismo: Em resumo, a filosofia do culto ao eu, ao corpo;

Narciso, segundo a lenda, foi um homem que apaixonado pela sua própria imagem, morreu afogado ao tentar tocá-la na face de um lago.


2) Hedonismo: Filosofia que entre outras coisas, defende que o que importa é a satisfação, felicidade, não levando em conta os custos ou a quem afete;

A primeira delas tem levado a sociedade a buscar um padrão de beleza que muitas vezes nem existem realmente, pois são criados através de programas de computador, efeitos de iluminação e desfoque fotográfico;

A segunda, creio ser a pior, pois em busca da sua própria "felicidade" o ser humano tem se emprenhado em toda sorte de mazelas sejam elas nas áreas sexual, social, financeira e criminal.

O fato é que o homem nunca está contente com a sua condição. Não que devamos nos conformar onde estamos ou a respeito do que somos, afinal, a Bíblia nos incita:

"e não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que proveis qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." Romanos 12:2

Mas a mesma Bíblia nos ensina que devemos, a semelhança do apóstolo Paulo, nos contentar com aquilo que temos:

"Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece." Filipenses 4:11-13

A lição que aprendemos aqui é que embora devamos lutar por melhores condições de vida, saúde, bem estar, e por que não dizer, beleza, isto não pode ser o fim de nossas vidas. Precisamos aprender a olhar as dificuldades da ótica de que a nossa vida não se resume ao tempo presente, pelo contrário, haverá uma eternidade a qual viveremos eternamente com Deus ou sem Ele.

E nossas ações e reações, nossas palavras e motivações, nossos desejos e anseios, assim como nossos sonhos, tudo deve ser para glorificarmos a Deus. Pois como diz o texto de filipenses, tudo podemos Naquele que nos fortalece.

Não sei como está a sua vida, mas Deus sabe, e com Ele, mesmo sozinhos, somos maioria. Confie nEle, entregue-se a Ele, e viva contente nEle.

Findo este texto com o verso bíblico que repito para mim mesmo sempre que a tristeza tenta me assaltar:

"Disse-lhes mais: ide, comei carnes gordas, tomai bebidas doces e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor; portanto, não vos entristeçais, porque a alegria do SENHOR é a vossa força." Neemias 8.10

Mitos que ameaçam o casamento - Por Hernandes Dias Lopes


O casamento é obra divina. Foi Deus quem instituiu o casamento e estabeleceu princípios para regê-lo. O casamento é um mistério. Nem mesmo as mentes mais brilhantes conseguem compreendê-lo plenamente. A felicidade no casamento só é alcançada através de muito esforço e constante renúncia, muito investimento e pouca cobrança, muito elogio e cautelosas críticas. Muitos casamentos adoecem e morrem, porque em vez dos cônjuges serem governados pela verdade, acabam sendo enganados por alguns mitos. Levantarei aqui alguns desses mitos: 


Em primeiro lugar, eu preciso encontrar a pessoa perfeita para me casar. Essa pessoa não existe. Não viemos de uma família perfeita, não somos uma pessoa perfeita e nem encontraremos uma pessoa perfeita. Além disso, essa ideia já parte de um pressuposto errado, pois é uma afirmação tácita de que já somos uma pessoa perfeita e que o nosso cônjuge é quem precisa se adequar a nós. Esse narcisismo é erro gritante. Produz uma auto-avaliação falsa e inevitavelmente deságua numa relação conjugal adoecida. 



Em segundo lugar, se meu cônjuge me ama nunca vai sentir-se atraído(a) por outra pessoa. Há muitas pessoas que depois do casamento descuidam-se da sua aparência. Esquecem-se de que o amor precisa ser constantemente regado e o relacionamento constantemente cultivado. É sabido que os homens são atraídos por aquilo que veem e as mulheres por aquilo que ouvem. Sendo assim, as mulheres precisam ser mais cuidadosas com sua aparência física e os homens mais atentos às suas palavras. A mulher precisa cativar constantemente seu marido e o marido precisa conquistar continuamente sua mulher. Qualquer descuido nessa área pode ser fatal para a felicidade e estabilidade do casamento.



Em terceiro lugar, se meu cônjuge casou-se comigo nunca vai esperar que eu mude. Um cristão não pode adotar o slogan de Gabriela: "Eu nasci assim, eu cresci e eu vou morrer assim". A indisposição para mudança é um perigo enorme para a felicidade conjugal. Não somos um produto acabado. Estamos em constante transformação. Somos desafiados todos os dias a despojar-nos de coisas inconvenientes e a agregarmos valores importantes à nossa vida. A acomodação no casamento é um retrocesso, pois num mundo em movimento, ficar parado é dar marcha ré. A vida cristã é uma corrida rumo ao alvo. Nosso modelo é Cristo e todos os dias precisamos ser mais parecidos com Jesus. Para isso, precisamos abandonar atitudes pecaminosas e adotar posturas piedosas. 



Em quarto lugar, se meu cônjuge me ama, não vai ficar aborrecido com minha possessividade. Ninguém é feliz no casamento perdendo sua individualidade. Ninguém sente-se confortável sendo sufocado. Ninguém tem prazer em viver no cabresto, sendo vigiado a todo tempo. O ciúme é uma doença. Uma doença que se diagnostica por três sintomas: uma pessoa ciumenta vê o que não existe, aumenta o que existe e procura o que não quer achar. Embora marido e mulher devam respeito e fidelidade um ao outro, não podem viver sendo monitorados o tempo todo. Casamento pressupõe confiança. A insegurança produz a possessividade e a possessividade gera o controle e o controle estrangula a relação. 


Em quinto lugar, se meu cônjuge me ama, nunca vai discordar de mim. O casamento não é a união de dois iguais. Homem e mulher são dois universos distintos. A ideia de almas gêmeas é absolutamente equivocada. O impressionante do casamento é que, sendo tão diferentes, homem e mulher são unidos numa aliança indissolúvel, para se tornarem uma só carne. As diferenças existem, entretanto, não para destruir o relacionamento, mas para enriquecê-lo; não para separar o casal, mas para complementar a relação conjugal.

Rev. Hernandes Dias Lopes

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Viver para o louvor da glória daquele que me salvou


O que é viver para o louvor da glória de Deus? É pensar, falar e agir sempre de acordo com
a Sua palavra, é se alegrar nEle, mesmo quando as coisas não vão conforme se deseja.
É agradece-Lo mesmo quando se está passando por provações, é reconhece-Lo em todos os
caminhos, é entoar-LHe louvores, mesmo quando falta o fôlego de vida.

Viver para o louvor da glória de Deus é odebecê-lo, mesmo quando parece que os outros
caminhos são mais fáceis e melhores. Viver para o louvor de glória de Jesus, é dia e noite
O buscar, tentar se tornar mais parecido com Ele.

Viver para a glória de Deus é mortificar a velha natureza, é lutar dioturnamente contra
o pecado que tenazmente assedia o coração, é não dar brechas para aquele que tenta
destruir a comunhão que se tem com Jesus, mas é meditar em todo o tempo na Palavra de Deus,
é orar sem cessar, é louvar.

É em meio aos apuros olhar para os montes, é erger a voz e clamar ao Senhor pelo livramento,
É chorar arrenpedindo pelos seus pecados e falta de fé. É reconhecer que só por meio de Jesus
pode-se chegar a presença de Deus.

Viver para a glória de Deus é viver neste mundo com os olhos na eternidade.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Deus ouve às nossas orações

Mesmo sem merecer, Deus ouve às nossas orações.

O missionário José Dilson e a missionária Zeneide foram libertados no Senegal no dia 05 de abril de 2013.

Vitória! Missionários José Dilson e Zeneide são libertados de prisão no Senegal após pressão de entidades brasileiras

Embora a notícia seja um pouco antiga, há uma coisa que ela confirma. O Deus a quem tememos é um Deus que ouve e atende às nossas suplicas.

Talvez Ele não lhe responda no tempo em que você espera, talvez Ele não lhe responda da forma como você deseja, mas o fato é que Ele sempre lhe responderá.

Ele não se esquece de nós, Ele não nos abandona, pois Ele é fiel ao que diz em Sua palavra:

"Cantai, ó céus, alegra-te, ó terra, e vós, montes, rompei em cânticos, porque o SENHOR consolou o seu povo e dos seus aflitos se compadece. Mas Sião diz: O SENHOR me desamparou, o Senhor se esqueceu de mim. Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti."
Isaías 49:13-15

O profeta nos conclama a louvar a Deus mesmo passando por provações. O que ocorre em momentos assim, é que não sentimos vontade de agradecer, apenas de reclamar, de murmurar, e fazemos como Sião, que diz que Deus a desamparou, mas Deus quando fazemos a pergunta: por que. Ele nos responde com outra pergunta, pode uma mãe se esquecer do filho que ainda mama?

E Deus continua, ainda que ela venha a se esquecer, eu não me esquecerei de ti!

Por isso, nos momentos de dor, de aflição, de tristeza, sem esperança sem força, sem solução, ore louvando a Deus, pedindo-Lhe aquilo que deseja o seu coração, esperando nEle, pois Ele atende às nossas orações.

Louvado seja para sempre o Seu nome!