sábado, 29 de junho de 2013

6 passos para ser demitido

Embora no Brasil a taxa de desemprego venha crescendo nos últimos meses - em março de 2013 foi de 5,7%; em abril e maio foi de 5,8% - o nível de emprego no Brasil ainda está em um excelente patamar, pessoas com um pouco mais de qualificação, boa rede de relacionamento e experiência, são facilmente relocadas no mercado de trabalho.

Contudo, o importante não é apenas conseguir um emprego, mas aproveitar bem as oportunidades, fazendo carreira em boas empresas. Empresas que respeitam o funcionário, fornecendo um bom ambiente para que ele desenvolva suas atividades.

Muitos profissionais que são demitidos, erram ao culpar seus líderes na empresa por conta da demissão. Fabiano Brum - palestrante especialista em vendas, empreendedorismo, motivação e educação - afirma que após anos de experiência, analisando situações de diversos clientes por todo o Brasil, “com raras exceções, normalmente o funcionário acaba sendo demitido por si mesmo.”

Analisando seu artigo “Demitido por si mesmo”¹ percebe-se alguns passos para “galgar” a demissão:

1) Não cumprir suas obrigações: Com raras exceções, as empresas têm normas e contratos de trabalho, que implicam em horas de trabalho, com hora de chegada, hora de saída, dias de trabalho, tarefas a serem observadas. Não cumprir suas obrigações, chegando atrasado, saindo mais cedo, faltando sem justificativa, não entregando as tarefas dentro dos prazos acertados. Estes são alguns dos primeiros degraus de quem “almeja” ser demitido;

2) Falar mal da empresa: Reginaldo Junior, um novo, mas muito experiente gerente de Marketing falou em uma de suas palestras, A empresa é como um organismo vivo, quem fala mal da empresa é como uma célula cancerígena, que está podre e quer apodrecer as demais células à sua volta. Fabiano Brum, no artigo já citado, também coloca como motivo de demissão as farpas direcionadas à empresa, comentadas com os colegas no barzinho;

3) Não atender bem (clientes internos e externos): Relacionamento é muito importante, tratar as pessoas sem educação, cordialidade, sendo intransigente, arrogante, insubmisso, são excelentes práticas para quem anseia pela demissão. Atender bem os clientes, tanto internos - colegas de trabalho, gerentes - e externos é uma necessidade primária para não apenas se manter empregado, mas para crescer.

4) Faltar com a ética: Como dizia a propaganda do ETHOS²: “Ética é uma palavra curta e definitiva, ou você tem, ou você não tem.” Mentir, roubar (mesmo que seja apenas uma caneta, ou papel), usar os recursos da empresa em benefício próprio, são alguns dos comportamentos que levam o funcionário a ser demitido, algumas vezes por justa causa.

5) Não bater meta ou superar expectativas: Funcionários feijão com arroz, receberam reconhecimento feijão com arroz. Fazer apenas o que mandam, não vestir a camisa da empresa, não buscar e lutar para o crescimento da empresa, não fará você melhorar na empresa, na sua carreira, pelo contrário, você pode ajudar a sua empresa a falir, e por conseguinte você perder o seu emprego.

6) Não gostar de trabalhar em equipe: Dificilmente há hoje empresas em crescimento, que não contem com boas equipes de trabalho. O trabalho em equipe é fundamental, a bíblia nos ensina que: “Os planos mediante os conselhos têm bom êxito;” Provérbios 20:18a. Se isolar, não gostar de trabalhar em equipe é um elevador para se alcançar a demissão.

Se você quer galgar sua demissão, basta seguir estes passos, mas se você não quer, corrija sua rota, mude seu comportamento e colha os frutos de um crescimento profissional. Não quero dizer que necessariamente você deve ficar na empresa em que você está, mas que onde você estiver, faça sempre o melhor e você verá os resultados.

Marcos Florêncio, gerente e sócio de um dos maiores grupos de empresas de distribuição de ferramentas do nordeste, falou certa vez: “Nós não escolhemos o que vamos colher, mas sim o que vamos plantar”.

Findo este artigo com o trecho final do artigo do Fernando Brum e um texto bíblico do livro de provérbios

“Faça sempre mais do que as pessoas imaginam, supere as expectativas, crie momentos mágicos e não trágicos para seus clientes e conquiste resultados positivos para seu empregador.” (Fernando Brum)

“O caminho do insensato aos seus próprios olhos parece reto, mas o sábio dá ouvidos aos conselhos.” (Provérbios 12:15)

Por isso pare, leia, atente, mude e tenha uma boa colheita!



Samuel Moura de Lyra


Recife, 28 de junho de 2013







quarta-feira, 12 de junho de 2013

Haja paz nos corações!

Dia 11 de junho de 2013, Deus chamou para Si Seu servo.

Pastor Sérvulo, homem de Deus, proclamador da Sua preciosa palavra, um evangelista nato. Quantas vezes não ouvi a expressão que com alegria ele dizia: Haja paz nos corações!

Lembro-me saudosamente das vezes em que, dentro do meu carro, ele orara, mesmo que não entendesse 100% do que ele falava. 
Lembro-me das vezes em que ele impetrava a benção dos apóstolos, que com toda a força e entusiasmo que sua saúde e idade permitiam.
Lembro-me de seu andar pela igreja a entregar folhetos aos visitantes.

Que saudosas lembranças...

Hoje estou feliz, feliz por ter tido o privilégio de conviver com um servo do Senhor Jesus.
Feliz por saber que ele está com quem eu mais desejo estar. 
Feliz por saber que um dia eu o encontrarei e juntos louvaremos eternamente ao nome do Rei dos Reis.

Algumas lições que aprendi com este servo do Senhor e que as levarei por toda a minha vida:

* Não perca a oportunidade de falar de Jesus a quem está perto de você, seja no ônibus, no taxi ou mesmo na igreja.
* Viva feliz com aquilo que Deus lhe dá, com aquilo que Deus tem feito por você.
* Abra a sua boca essencialmente para distruibuir paz aos corações daqueles que o ouvem, e exclusivamente para falar de coisas que glorifiquem a Deus.

Que Deus me ajude a ser um servo fiel como foi o querido e saudoso pastor Sérvulo.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Aprender a viver

No mundo atual há duas filosofias que influenciam a nossa maneira de viver:

1) Narcisismo: Em resumo, a filosofia do culto ao eu, ao corpo;

Narciso, segundo a lenda, foi um homem que apaixonado pela sua própria imagem, morreu afogado ao tentar tocá-la na face de um lago.


2) Hedonismo: Filosofia que entre outras coisas, defende que o que importa é a satisfação, felicidade, não levando em conta os custos ou a quem afete;

A primeira delas tem levado a sociedade a buscar um padrão de beleza que muitas vezes nem existem realmente, pois são criados através de programas de computador, efeitos de iluminação e desfoque fotográfico;

A segunda, creio ser a pior, pois em busca da sua própria "felicidade" o ser humano tem se emprenhado em toda sorte de mazelas sejam elas nas áreas sexual, social, financeira e criminal.

O fato é que o homem nunca está contente com a sua condição. Não que devamos nos conformar onde estamos ou a respeito do que somos, afinal, a Bíblia nos incita:

"e não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que proveis qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." Romanos 12:2

Mas a mesma Bíblia nos ensina que devemos, a semelhança do apóstolo Paulo, nos contentar com aquilo que temos:

"Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece." Filipenses 4:11-13

A lição que aprendemos aqui é que embora devamos lutar por melhores condições de vida, saúde, bem estar, e por que não dizer, beleza, isto não pode ser o fim de nossas vidas. Precisamos aprender a olhar as dificuldades da ótica de que a nossa vida não se resume ao tempo presente, pelo contrário, haverá uma eternidade a qual viveremos eternamente com Deus ou sem Ele.

E nossas ações e reações, nossas palavras e motivações, nossos desejos e anseios, assim como nossos sonhos, tudo deve ser para glorificarmos a Deus. Pois como diz o texto de filipenses, tudo podemos Naquele que nos fortalece.

Não sei como está a sua vida, mas Deus sabe, e com Ele, mesmo sozinhos, somos maioria. Confie nEle, entregue-se a Ele, e viva contente nEle.

Findo este texto com o verso bíblico que repito para mim mesmo sempre que a tristeza tenta me assaltar:

"Disse-lhes mais: ide, comei carnes gordas, tomai bebidas doces e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor; portanto, não vos entristeçais, porque a alegria do SENHOR é a vossa força." Neemias 8.10

Mitos que ameaçam o casamento - Por Hernandes Dias Lopes


O casamento é obra divina. Foi Deus quem instituiu o casamento e estabeleceu princípios para regê-lo. O casamento é um mistério. Nem mesmo as mentes mais brilhantes conseguem compreendê-lo plenamente. A felicidade no casamento só é alcançada através de muito esforço e constante renúncia, muito investimento e pouca cobrança, muito elogio e cautelosas críticas. Muitos casamentos adoecem e morrem, porque em vez dos cônjuges serem governados pela verdade, acabam sendo enganados por alguns mitos. Levantarei aqui alguns desses mitos: 


Em primeiro lugar, eu preciso encontrar a pessoa perfeita para me casar. Essa pessoa não existe. Não viemos de uma família perfeita, não somos uma pessoa perfeita e nem encontraremos uma pessoa perfeita. Além disso, essa ideia já parte de um pressuposto errado, pois é uma afirmação tácita de que já somos uma pessoa perfeita e que o nosso cônjuge é quem precisa se adequar a nós. Esse narcisismo é erro gritante. Produz uma auto-avaliação falsa e inevitavelmente deságua numa relação conjugal adoecida. 



Em segundo lugar, se meu cônjuge me ama nunca vai sentir-se atraído(a) por outra pessoa. Há muitas pessoas que depois do casamento descuidam-se da sua aparência. Esquecem-se de que o amor precisa ser constantemente regado e o relacionamento constantemente cultivado. É sabido que os homens são atraídos por aquilo que veem e as mulheres por aquilo que ouvem. Sendo assim, as mulheres precisam ser mais cuidadosas com sua aparência física e os homens mais atentos às suas palavras. A mulher precisa cativar constantemente seu marido e o marido precisa conquistar continuamente sua mulher. Qualquer descuido nessa área pode ser fatal para a felicidade e estabilidade do casamento.



Em terceiro lugar, se meu cônjuge casou-se comigo nunca vai esperar que eu mude. Um cristão não pode adotar o slogan de Gabriela: "Eu nasci assim, eu cresci e eu vou morrer assim". A indisposição para mudança é um perigo enorme para a felicidade conjugal. Não somos um produto acabado. Estamos em constante transformação. Somos desafiados todos os dias a despojar-nos de coisas inconvenientes e a agregarmos valores importantes à nossa vida. A acomodação no casamento é um retrocesso, pois num mundo em movimento, ficar parado é dar marcha ré. A vida cristã é uma corrida rumo ao alvo. Nosso modelo é Cristo e todos os dias precisamos ser mais parecidos com Jesus. Para isso, precisamos abandonar atitudes pecaminosas e adotar posturas piedosas. 



Em quarto lugar, se meu cônjuge me ama, não vai ficar aborrecido com minha possessividade. Ninguém é feliz no casamento perdendo sua individualidade. Ninguém sente-se confortável sendo sufocado. Ninguém tem prazer em viver no cabresto, sendo vigiado a todo tempo. O ciúme é uma doença. Uma doença que se diagnostica por três sintomas: uma pessoa ciumenta vê o que não existe, aumenta o que existe e procura o que não quer achar. Embora marido e mulher devam respeito e fidelidade um ao outro, não podem viver sendo monitorados o tempo todo. Casamento pressupõe confiança. A insegurança produz a possessividade e a possessividade gera o controle e o controle estrangula a relação. 


Em quinto lugar, se meu cônjuge me ama, nunca vai discordar de mim. O casamento não é a união de dois iguais. Homem e mulher são dois universos distintos. A ideia de almas gêmeas é absolutamente equivocada. O impressionante do casamento é que, sendo tão diferentes, homem e mulher são unidos numa aliança indissolúvel, para se tornarem uma só carne. As diferenças existem, entretanto, não para destruir o relacionamento, mas para enriquecê-lo; não para separar o casal, mas para complementar a relação conjugal.

Rev. Hernandes Dias Lopes

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Viver para o louvor da glória daquele que me salvou


O que é viver para o louvor da glória de Deus? É pensar, falar e agir sempre de acordo com
a Sua palavra, é se alegrar nEle, mesmo quando as coisas não vão conforme se deseja.
É agradece-Lo mesmo quando se está passando por provações, é reconhece-Lo em todos os
caminhos, é entoar-LHe louvores, mesmo quando falta o fôlego de vida.

Viver para o louvor da glória de Deus é odebecê-lo, mesmo quando parece que os outros
caminhos são mais fáceis e melhores. Viver para o louvor de glória de Jesus, é dia e noite
O buscar, tentar se tornar mais parecido com Ele.

Viver para a glória de Deus é mortificar a velha natureza, é lutar dioturnamente contra
o pecado que tenazmente assedia o coração, é não dar brechas para aquele que tenta
destruir a comunhão que se tem com Jesus, mas é meditar em todo o tempo na Palavra de Deus,
é orar sem cessar, é louvar.

É em meio aos apuros olhar para os montes, é erger a voz e clamar ao Senhor pelo livramento,
É chorar arrenpedindo pelos seus pecados e falta de fé. É reconhecer que só por meio de Jesus
pode-se chegar a presença de Deus.

Viver para a glória de Deus é viver neste mundo com os olhos na eternidade.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Deus ouve às nossas orações

Mesmo sem merecer, Deus ouve às nossas orações.

O missionário José Dilson e a missionária Zeneide foram libertados no Senegal no dia 05 de abril de 2013.

Vitória! Missionários José Dilson e Zeneide são libertados de prisão no Senegal após pressão de entidades brasileiras

Embora a notícia seja um pouco antiga, há uma coisa que ela confirma. O Deus a quem tememos é um Deus que ouve e atende às nossas suplicas.

Talvez Ele não lhe responda no tempo em que você espera, talvez Ele não lhe responda da forma como você deseja, mas o fato é que Ele sempre lhe responderá.

Ele não se esquece de nós, Ele não nos abandona, pois Ele é fiel ao que diz em Sua palavra:

"Cantai, ó céus, alegra-te, ó terra, e vós, montes, rompei em cânticos, porque o SENHOR consolou o seu povo e dos seus aflitos se compadece. Mas Sião diz: O SENHOR me desamparou, o Senhor se esqueceu de mim. Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti."
Isaías 49:13-15

O profeta nos conclama a louvar a Deus mesmo passando por provações. O que ocorre em momentos assim, é que não sentimos vontade de agradecer, apenas de reclamar, de murmurar, e fazemos como Sião, que diz que Deus a desamparou, mas Deus quando fazemos a pergunta: por que. Ele nos responde com outra pergunta, pode uma mãe se esquecer do filho que ainda mama?

E Deus continua, ainda que ela venha a se esquecer, eu não me esquecerei de ti!

Por isso, nos momentos de dor, de aflição, de tristeza, sem esperança sem força, sem solução, ore louvando a Deus, pedindo-Lhe aquilo que deseja o seu coração, esperando nEle, pois Ele atende às nossas orações.

Louvado seja para sempre o Seu nome!

terça-feira, 19 de março de 2013

Carta escrita por Rev. José Dilson, na prisão de Thiés - Senegal.


Chorei muito ao ler esta carta, chorei por saber que um irmão nosso, brasileiro está sofrendo injustamente em uma prisão longe de seus familiares, mas chorei por ver o quão pouco tenho feito diante do grande amor com que Jesus me amou. Sou um nada!

Meu desejo e oração é que Deus liberte este querido pastor, e me use, mesmo sendo nada, para o louvor da glória de Deus.

Amém!

Governo do Senegal, Presidente Dilma Rousseff, Itamaraty: Libertação de missionários brasileiros presos no Senegal

Thiés, 25 de fevereiro de 2013.

Queridos irmãos,

Deus é grande e misericordioso, Ele não muda ou deixa de ser o que é, por causa do problema ou as dificuldades que eu possa estar vivendo.  As circunstâncias  da vida, por mais difíceis que sejam,  não diminuem a glória ou a bondade de Deus. Eu não posso, de forma alguma tirar os olhos e a confiança no meu Senhor – estou com meus olhos fixos, esperando Nele.

Já são duas horas da madrugada, e não estou conseguindo dormir, todas as noites são assim quentes, sem espaço pra me virar, desconfortáveis ao extremo. Com tudo isso, sei que  Jesus está ao meu lado e isso me conforta. Vejo meus colegas todos dormindo e fico imaginando que Jesus quer ter um tempo comigo pra gente conversar um pouco, são nesses momentos que  tenho liberdade de falar um pouco das minhas frustrações, das minhas angústias, dos meus temores - que amigo querido, como o amo!

Passo nessas noites batalhas que não podem imaginar. Sinto a presença também do inimigo muito perto, soprando em meus ouvidos, dizendo que Deus não se importa comigo.  Que luta eu travo contra a auto-piedade, contra o sentimento de desespero, de solidão, de injustiça, de raiva e tantos outros que tentam se apoderar de mim.  Essa batalha mental repreendo em nome de Jesus, no nome daquele que derramou até a última gota de sangue por minha causa. Ele é infinitamente bom e sua misericórdia dura para sempre!

As batalhas são travadas nao somente a noite, mas também durante o dia. É preciso ter muita coragem, ao mesmo tempo humildade  e sobretudo  graça do Senhor para resistir as afrontas, as humilhações,  arrogância e desrespeito.  Há algum tempo atrás, um senhor, muçulmano veio até mim, e começou  a me humilhar dizendo: 

- Você não é nada, você não sabe nada, e tudo que você ensina não vale absolutamente nada, você é menos que o dedinho do pé de qualquer um aqui...  

E assim continuou a me humilhar, me humilhar e me humilhar. Falou muitas  palavras  duras e terríveis. Eu só lhe dizia: 

- Sim, pode continuar. Sim, sim, estou ouvindo. Continue! 

E ele se empolgou e falou mais um monte de coisas tentando me afundar em seu inferno de palavras, após um breve silêncio, perguntei: 

- Acabou? Não quer dizer mais nada? Posso falar agora? 

Com voz dura falou: 

- Fale! 

Esperando também em troca exaltação e arrogância. Comecei então dizendo: 

- Você tem razão, eu não sou nada mesmo, sou menos que um grãozinho de areia suja, sou pó, sou verme, sou trapo de imundície, sou um cão morto...

E quase chorando acrescentei: 

- Mas eu quero te apresentar a alguém que era tudo, era o criador do Universo, cheio de glória, o Senhor soberano, que apesar de tudo isso me amou de tal maneira que entregou sua vida para ser escarnecido, rasgado e derramou seu sangue por minha causa. Mas não foi somente por mim, foi por você também, você é importante pra ele e Ele te ama, ele morreu pelos teus pecados e ressuscitou para que você passasse a viver a vida eterna.

Esse homem, ao me ouvir falar assim, foi como se tomasse um choque de 50 mil volts. Ele não esperava esta reação. Esperava que eu reagisse a altura. No entanto, com voz baixa agora me disse: 

- Tenho te observado e acompanho teus movimentos por mais de um mês. Fui enviado para te testar, para ver se  você realmente era um homem de Deus. E posso dizer que você é este homem de Deus que todos falam, pois o homem de Deus, quando é humilhado, Deus lhe exalta. A partir de hoje você tem o meu respeito!

Fiquei estarrecido ao ouvir este homem citar a Palavra de Deus! Agora ele é um dos meus melhores amigos, não se converteu mas nunca mais se opôs em nenhum momento quando compartilho a Palavra.

Meus queridos, irmãos e irmãs, quero dizer que sua vida está escondida em Jesus, não importa onde você está e qual a circunstância  pela qual você está passando. Você pode estar sendo humilhado, incompreendido, triste, angustiado, enfermo, em necessidades diversas, eu quero te encorajar neste dia:

- Lance sobre ele a tua  ansiedade pois ele tem cuidado de ti. Não deixe o inimigo levar glória nenhuma, o Senhor está presente, ainda que  não resolva o seu problema como você desejaria. Ele te dará a graça para suportar e ser mais que vencedor.

Há alguns dias atrás um outro companheiro, a quem tenho ministrado desde que entrei na prisão,  me perguntou:

- Como faço pra ser protestante? 

Eu respondi: 

- Bom, vou te responder a essa pergunta de maneira diferente, vou imaginar que você está me perguntando como faço pra receber Jesus em meu coração e me converter a ele? 

Lhe mostrei então alguns versos da Bíblia, especialmente Romanos 3:23; 6:23; 10:9-10, e falei-lhe da queda no paraíso, da condenação e morte eterna, como resultados. E o plano de redenção através de Jesus e Seu sacrifício na cruz. Falei-lhe que para ser protestante é preciso crer em Jesus e obedecê-lo, e dentre muitas outras coisas eu lhe perguntei:

- Você quer entregar a Jesus a sua vida, e passar a ser um discípulo dele, crendo e obedecendo-lhe?

E ele respondeu:

- Quero, quero dar-lhe toda a minha vida, quero viver para Ele. 

Este senhor é um francês de 55 anos. O Senhor tem me dado oportunidade para compartilhar do Seu amor com um público diversificado: católicos, ateus, muçulmanos, cristãos. Aleluia!

Temos que lembrar que nossa vida pertence a Cristo, e como nosso dono e Senhor, tem o direito de nos utilizar da maneira como quiser, e mesmo nos levar onde desejar para realizar a sua perfeita vontade. Ele é Deus, o criador. Vivemos, nos movemos e existimos por Ele e por meio dEle. Que privilégio ser escolhido por Ele para estar neste lugar e neste momento, para poder ser seus braços, seus pés, sua boca, para abraçar, socorrer e mostrar o caminho a tantos aqui, que além de presos, passam  por tantas necessidades em todas as áreas imagináveis.

Quero agradecer a todos os meus irmãos e irmãs, que têm estado comigo nesta prisão. Digo de todo o coração que meu maior desejo era sair daqui e estar com aqueles que amo, porém tenho orado a oração de Maria:

"Cumpra-se em mim, Senhor a tua vontade". 

E se esta é a sua vontade, que eu permaneça na prisão mais algum tempo, para levar a liberdade aos que de fato estão cativos, física e espiritualmente, que assim seja. Ele me dará graças para suportar como tem dado até este momento, como também dará graças aos irmãos para continuarem a nos dar o suporte necessário.

Choro e lamento estar preso, pois gostaria de estar com minha família, minha esposa, meus filhos, a quem amo profundamente. A liberdade não tem preço. Meu Deus, como é preciosa! Tive-a tantos anos de minha vida, e não sabia o quanto era importante, como eu deveria ter aproveitado para gastar mais tempo com pessoas que eu  amava. Mas ao mesmo tempo me regozijo pelo fato de estar preso por causa do Evangelho.

Depois da acariação com o suposto advogado que havíamos contratado o juiz me disse:

- Meu trabalho está concluído, somente está pendente o fato de você ter convertido crianças(menores). 

Todas as outras acusações caíram por terra, o próprio juiz disse que não somos formadores de quadrilha e nos inocentou de toda a acusação do inimigo. Falou para Zeneide que estava presa injustamente. 

01.jpg

Isso vem confirmar o que sempre digo, que sou prisioneiro de Cristo, e o meu juiz é Deus, quando chegar sua hora Ele nos tirará daqui, e quero sair com o sentimento de que fui fiel ao Senhor enquanto aqui passei.

As dores, necessidades, enfermidades, desconforto, nostalgia, lágrimas, enfim tudo isso será recompensado quando apertarmos a mão de centenas de pessoas lá na glória. Quando fui ajudar a fazer o enterro do Amadu (um liberiano cristão que faleceu aqui na prisão no dia do Natal) pensei: "Um dia irei abraçá-lo lá na glória, e juntos louvaremos ao Senhor pela Sua salvação." Glórias sejam dadas ao nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, a quem temos o privilégio de servir!

Agradeço por cada e-mail e mensagem de encorajamento, postagens  no facebook, contribuições, orações, reuniões de intercessões, etc. Somente Deus poderá recompensá-los.

Amo vocês, amigos e amigas, e mesmo os que dantes não conhecia, mas que agora fazem parte das nossas vidas, que têm demonstrado carinho e tanto amor por mim e também pela irmã Zeneide, bem como a Marli (minha amada esposa) e minha família (Jônatas, Débora e Zucki). Que o Senhor continue a derramar bençãos sobre as vossas vidas.

O prisioneiro de Cristo,
José Dilson. 

03.jpg

sexta-feira, 1 de março de 2013

Pastoral - Dízimo, uma prática bíblica a ser observada - por Hernandes Dias Lopes


Há uma enxurrada de comentários tendenciosos e distorcidos circulando as redes sociais, em nossos dias, atacando a doutrina dos dízimos. Acusam os pastores que ensinam essa doutrina de infiéis e aproveitadores.Acusam as igrejas que recebem os dízimos de explorar o povo. Outros, jeitosamente, tentam descaracterizar o dízimo, afirmando que essa prática não tem amparo no Novo Testamento. Tentam limitar o dízimo apenas ao Velho Testamento, afirmando que ele é da lei e não vigente no tempo da graça. 


Não subscrevemos os muitos desvios de igrejas que, laboram em erro, ao criarem mecanismos místicos, sincréticos e inescrupulosos para arrecadar dinheiro, vendendo água fluidificada, rosa ungida, toalha suada e até tijolo espiritual. Essas práticas são pagãs e nada tem a ver com ensino bíblico da mordomia dos bens. O fato, porém, de existir desvio de uns, não significa que devemos afrouxar as mãos, no sentido de ensinar tudo quanto a Bíblia fala sobre dízimos e ofertas. Destaco, aqui, alguns pontos para nossa reflexão. 

Em primeiro lugar, a prática do dízimo antecede à lei. Aqueles que se recusam ser dizimistas pelo fato de o dízimo ser apenas da lei estão rotundamente equivocados. O dízimo é um princípio espiritual presente entre o povo de Deus desde os tempos mais remotos. Abraão pagou o dízimo a Malquizedeque (Gn 14.20) e Jacó prometeu pagar o dízimo ao Senhor (Gn 28.22), muito antes da lei ser instituída. 

Em segundo lugar, a prática do dízimo foi sancionada na lei. O princípio que governava o povo de Deus antes da lei, foi ratificado na lei. Agora, há um preceito claro e uma ordem específica para se trazer todos os dízimos ao Senhor (Lv 27.32). Não entregar o dízimo é transgredir a lei, e a transgressão da lei constitui-se em pecado (1Jo 3.4).

Em terceiro lugar, a prática do dízimo está presente em toda Bíblia. A fidelidade na mordomia dos bens, a entrega fiel dos dízimos e das ofertas, é um ensino claro em toda a Bíblia. Está presente no Pentateuco, os livros da lei; está presente nos livros históricos (Ne 13.11,12), poéticos (Pv 3.9,10) e proféticos (Ml 3.8-10). Também está explicitamente ratificado nos evangelhos (Mt 23.23) e nas epístolas (Hb 7.8). Quanto ao dízimo não podemos subestimá-lo, sua inobservância é um roubo a Deus. Não podemos subtraí-lo, pois a Escritura é clara em dizer que devemos trazer "todos os dízimos". Não podemos administrá-lo, pois a ordem: "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro". 

Em quarto lugar, a prática do dízimo é sancionada por Jesus no Novo Testamento. Os fariseus superestimavam o dízimo, fazendo de sua prática, uma espécie de amuleto. Eram rigorosos em sua observância, mas negligenciam os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fé. Jesus, deixa claro que devemos observar atentamente a prática dessas virtudes cardeais da fé cristã, sem omitir a entrega dos dízimos (Mt 23.23). Ora, aqueles que usam o argumento de que o dízimo é da lei, e por estarmos debaixo da graça, estamos isentos de observá-lo; da mesma forma, estariam também isentos da justiça, da misericórdia e da fé, porque essas virtudes cardeais, também, são da lei. Só o pensar assim, já seria uma tragédia!

Em quinto lugar, a prática do dízimo é um preceito divino que não pode ser alterado ao longo dos séculos. Muitas igrejas querem adotar os princípios estabelecidos pelo apóstolo Paulo no levantamento da coleta para os pobres da Judéia como substituto para o dízimo. Isso é um equívoco. O texto de 2 Coríntios 8 e 9 trata de uma oferta específica, para uma causa específica. Paulo jamais teve o propósito de que essas orientações fossem um substituto para a prática do dízimo. Há igrejas na Europa e na América do Norte que estabelecem uma cota para cada família para cumprir o orçamento da igreja. Então, por serem endinheirados, reduzem essa contribuição a 5% ou 3% do rendimento. Tem a igreja competência para mudar um preceito divino? Mil vezes não! Importa-nos obedecer a Deus do que aos homens. Permaneçamos fiéis às Escrituras. Sejamos fiéis dizimistas!

Rev. Hernandes Dias Lopes