quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

No que você confia para tomar uma decisão?


“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida.”. Provérbios 4.23

No que você confia para tomar uma decisão, nas circunstâncias, naquilo que você sente ou pensa. Deixe eu lhe fazer um alerta: Não confie em nenhuma destas duas opções.
O mundo, as circunstâncias, as situações não devem ser o parâmetro principal para a sua tomada de decisão. Veja o exemplo de Ló. Ló chegou em uma situação que ele poderia optar por ir para os campos verdes e produtivos dos vales de Sodoma e Gomorra, ou ficar junto de Abraão, seu tio. O final da escolha dele, todos nós já sabemos. Ele perdeu todos os seus bens, sua esposa e até as suas filhas. Genesis 19
Confiar no que sentimos é outra forma de caminhar por caminhos tortuosos. Sansão confiou em seu coração, confiou em sua força, confiou em si mesmo e o seu fim, foi muito diferente do que Deus havia planejado para ele. Ele veio para ser o libertador do povo de Deus, mas acabou preso, cego e humilhado pelos seus inimigos. Juízes 13-16 Além do que a Bíblia nos ensina que o nosso coração é enganoso e desesperadamente corrupto. Será que você confiaria a sua vida e decisões a alguém que é declaradamente enganoso e corrupto? Jeremias 17.9
A nossa confiança deve ser colocada na Palavra de Deus, é Ela que é a Lâmpada para os nossos pés e a luz para o nosso caminho. Salmos 119.105 É observando a palavra de Deus que o homem se torna bem aventurado, feliz, pleno em realização. Salmos 128.1 Portanto guarde a palavra de Deus no seu coração e assim, vença o pecado.


“Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti.” Salmos 119.11

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Mais perto quero estar - Sarah Flower Adams


"Mais Perto Quero Estar"

Mais perto quero estar, meu Deus, de ti,
'Inda que seja a dor que me una a ti!
Sempre hei de suplicar: “Mais perto quero estar,
Mais perto quero estar, meu Deus, de ti!”

Mesmo vagando aqui, na solidão,
De noite, a descansar, dormindo ao chão,
Em sonhos vou clamar: “Mais perto quero estar,
Mais perto quero estar, meu Deus de ti!”

Minha alma cantará a ti, Senhor!
Betel aqui verei por teu favor.
Eu sempre hei de rogar: “Mais perto quero estar,
Mais perto quero estar, meu Deus de ti!”

E quando a morte, enfim, me vier chamar,
Nos céus, com o Senhor, irei morar!
Então me alegrarei perto de ti meu Rei!
Perto de ti, meu Rei, meu Deus, de ti! Amém.

Um dos mais belos hinos já compostos, a história dele é mais conhecida do que a história de sua autora, Sarah Flower Adams.  Ele era o hino favorito do William McKinley, o terceiro presidente americano a ser assassinado. À medida que ia morrendo, ele suspirava os primeiros versos deste hino. Ele disse ao doutor que o assistia: Esta tem sido minha constante oração.

O hino é baseado em Gênesis 28:11-17. Quando Jacó foge de Esaú, ele sonha com uma escada para o céu. Sarah expressou no seu hino a verdade que mesmo em meio às trevas e tribulação, nós podemos ser elevados para junto de Deus. Muitos cristãos irão confirmar, particularmente nas horas de angústia, que a confortante presença de Cristo é real.

Em 1912 o transatlântico Titanic chocou-se contra um iceberg a cerca de 1600 milhas a nordeste da cidade de Nova Iorque na sua primeira viagem da Inglaterra para os EUA. Menos da metade das 2200 pessoas a bordo, na sua maioria mulheres e crianças, encontraram lugar nos botes salva-vidas. Nos momentos finais, quando o navio lentamente afundava no oceano, sua banda tocou "Mais Perto Quero Estar".

A autora deste hino, Sarah Flower Adams, nasceu em Great Harlow, Inglaterra, em 1805. Seu pai foi editor do Cambridge Intelligence. Quando Sarah tinha apenas cinco anos sua mãe morreu.

Mesmo sendo Sarah uma talentosa poeta, seu sonho era ser uma atriz. Ela acreditava que verdades morais podiam ser ensinadas do palco tão bem como do púlpito, mas ela nunca foi capaz de alcançar seu objetivo por motivos de saúde. Então ela focou seus talentos para a escrita.

Costuma-se dizer que o grande poeta Britânico Robert Browning indiretamente inspirou os hinos da Sra. Adams. Sua amizade começou quando eles eram crianças. Poucos anos depois sua fé parecia vacilar por causa da fatiga e do aborrecimento trazidos pela sua saúde fraca. É dito que a influência de Browning reavivou e confirmou sua fé cristã, fazendo ser possível a ela escrever este hino.

Em 1834 Sarah casou-se com William Adams, um engenheiro, e mudou-se para Londres. Apesar de ser influenciada pelo Unitarismo, ela tornou-se Batista ao final de sua vida. Seus hinos indicam que ela teve uma fé viva no Senhor Jesus Cristo.

Sua saúde permaneceu pobre. Quando ela começou a cuidar de sua irmã Elisa, ela ficou cada vez mais frágil. Ela morreu dois anos após sua irmã, em 1848.

Quando ainda viva, Mais Perto Quero Estar apareceu num  pequeno hinário provinciano, mas ela não fazia ideia de que ele iria se tornar parte na hinologia universal e o favorito de uma incontável multidão de pessoas, incluindo a Rainha Vitória e Eduardo VII. Na morte do Presidente William McKinley, ele foi cantado em diversas igrejas nos EUA.

Quando Sarah Adams escreveu estes pensamentos profundos e pessoais para confortar e soerguer seu próprio coração, ela não imaginava que ela estaria falando a uma tão ampla audiência algum dia e que aquele seu hino seria cantado em qualquer lugar onde cristãos se reúnam.

Adaptado e Extraído dos livros: Great Christian Hymn writers e 101 More Hymn Stories
Traduzido por Jairo Sena


quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Homens e mulheres dos quais o mundo não era digno - JOHN FAWCETT

Continuando a série sobre homens e mulheres dos quais o mundo não é digno, segue a história de John Fawcett, um homem que colocou o seu amor pelas suas ovelhas acima dos seu sonhos e anseios materiais.

John Fawcett (1740-­1817)

 


Aos dezesseis anos John Fawcett se converteu ouvindo uma fervorosa pregação de George Whitefield. Mais tarde, enquanto servindo como ministro em uma pequena congregação batista numa vila em Yorkshire, ele recebeu um convite para uma proeminente igreja em Londres. Ele estava alegre com a idéia de um salário maior e um grupo maior para conduzir no caminho do Senhor. 

Chegado o dia em que Fawcett pregou seu sermão de despedida, com a ajuda de seus amigos, carregou sua mobília em uns caminhões. Sob as lágrimas e os adeus da congregação sua esposa exclamou: "Oh, John, eu não posso suportar isto! Eu não sei como partir!" "Nem eu," ele respondeu.

Então ele disse com determinação: "Diga aos homens para descarregar a mobília e por tudo no lugar como estava antes." Esta incomum experiência inspirou John Fawcett a escrever o hino "Blest Be the Tie That Binds" (Benditos Laços São). 

Ele sacrificou a ambição e o interesse pessoal para ficar com o povo que o amou tão profundamente. 

Por mais de cinqüenta anos ele trabalhou na vila de Yorkshire com um modesto salário. Durante estes anos e abriu uma escola para jovens pregadores. Pelo seu serviço fiel e diligente nesta vila, ele recebeu a graduação de doutor em divindade da Brown University.

A sua vida demonstra que nós não precisamos galgar altas posições, mas devemos nos contentar com o que o Senhor tem nos feito. Se Fawcett tivesse ido para Londres, nós provavelmente jamais iríamos ter a alegria e o conforto da canção: 

Benditos laços são 
Os do fraterno amor 
Que assim, em santa comunhão 
Nos unem no Senhor


Extraído dos livros: Great Christian Hymn writers e 101 More Hymn Stories
Traduzido por Jairo Sena

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Pelo que você vive?

Qual é o seu objetivo principal na vida? Qual é a coisa que lhe faz acordar cedo e dormir tarde? Em que você empenha suas forças, habilidades, horas e saúde?

Nesta sociedade narcisista, talvez você se empenhe por ter um corpo sarado, será isto? Na 1ª carta de Paulo a Timóteo 4.7b-8, Deus nos fala: "Exercita-te, pessoalmente, na piedade. Pois o exercício físico para pouco é proveitoso, mas a piedade para tudo é proveitosa, porque tem a promessa da vida que agora é e da que há de ser."

Mas talvez seu objetivo seja as conquistas financeiras, muito dinheiro, casas, carros do ano, viagens, celulares da moda, roupas e sapatos de marca, status... Será isto?
No evangelho de Lucas 12.15, Jesus nos ensina: "Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui." e disse que um homem rico que ajuntava e se alegrava no que tinha juntado, Deus o perguntou - Lucas 12.21-12 "Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus."

Contudo aquele que teme ao Senhor, e que tem o Senhor como prioridade em sua vida, este será abençoado, ainda que em meio às tribulações, sairá vencedor, em meio às perseguições, viverá em paz, pois O SENHOR DOS EXÉRCITOS é com ele, e DEUS jamais o abandonará. Paulo escrevendo aos Romanos, fala que o Evangelho é o poder de DEUS para a salvação daquele que crê em Jesus. E o mesmo Paulo afirma que o justo viverá por fé - Romanos 1.16-17: "Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé."

O objetivo principal de minha vida é: Glorificar a Deus, e desfrutar de Sua santa e excelsa presença. (Breve Catecismo)

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Não rejeites a disciplina do SENHOR...

“Filho meu, não rejeites a disciplina do SENHOR, nem te enfades da sua repreensão. Porque o SENHOR repreende a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem.” Provérbios 3.11-12

Você está passando por provação, por tribulação, sente que Deus o está disciplinando? Salomão já no fim de sua existência, cheio de experiência, e principalmente sabedoria do Senhor, chama seu filho, e como o coloca no colo, amavelmente o instrui.

Dentre os ensinos que ele dá ao seu filho, este se destaca, pois fala ao filho para não se rebelar quando este vier a ser repreendido pelo Senhor, quando Deus o disciplinar, não deveria provocar cansaço, desalento, desânimo, ou tristeza nele, e o motivo é claramente colocado no verso seguinte: Deus disciplina a quem ama.

Assim como o pai corrige o filho que ama, a fim de que este permaneça em caminho seguro, Deus nos corrige a fim de que não nos afastemos dEle, a fim de que cresçamos em santidade, a fim de que fiquemos mais parecidos com o Senhor Jesus.

A disciplina do Senhor nos leva ao zelo e ao arrependimento (Apocalipse 3.19). Zelo para com as coisas de Deus, para com a busca por seguir a Sua Santa Palavra, e também ao arrependimento pelas coisas erradas que fizemos. É bem verdade, que nem sempre a provação vem por conta de que estamos em pecado, contudo é certo que sempre que ela vem com ela a graça de Deus para que apossamos ser aprovados.


Senhor Jesus, recebo tua disciplina com alegria, pois ela é prova de que tu me amas, que cuidas de mim, que não deixarás que eu me desvie e nem me perca, mas completarás a obra que começaste em minha vida.