segunda-feira, 24 de setembro de 2012

O poder da mídia


Tive o privilégio de lecionar sobre o tema: O poder da mídia, e é impressionante perceber o quanto a mídia, especialmente a televisiva, tem ditado e imposto valores e costumes sobre a vida das pessoas, sobre a sociedade.

Na aula tivemos excelentes participações, uma em especial, me fez aprender e perceber algo muito sutil que ocorre: quando a Rede Globo, em suas novelas, tem algo que eles querem passar como normal, além de colocar seus atores para vivenciar aquilo, o jornalismo dela procura e expõe essas situações em alguns raros, mas reais casos. A estratégia é influenciar mostrando que o que os atores estão vivendo é algo normal que acontece.

A manipulação é grande, e a estratégia mais utilizada é a de mostrar situações anormais, como normais. Eles massificam a ideia a expondo várias vezes (em novelas diferentes), e de tanto as mostrar, acabam criando o sentimento em seus telespectadores de natural.

Vivemos num país corrupto, numa sociedade corrupta, mas como ser diferente? Eu não me lembro de uma novela brasileira que não mostrou pessoas se corrompendo, roubando as outras, brigando para tomar os bens dos outros. Sob o hipócrita argumento de que estão mostrando a realidade, as novelas ensinam como enriquecer mesmo que de maneira ilícita.

O desserviço para a sociedade é tremendo, além de atacar a principal célula de uma sociedade sadia: a família; as novelas, em sua maioria, apregoam, o divórcio, o adultério, o sexo sem responsabilidade, a libertinagem, a vida fácil, a homossexualidade, a bigamia, entre outras coisas, que ferem a ética e os bons costumes.

Em seu blog, o professor Felipe Aquino, coloca com um dos fatores para o alarmante crescimento do número de estupros no Brasil, a nociva ação da mídia, impressa, da internet e televisiva ao sexo "fácil, seguro" e eu ainda acrescentaria sem consequências.

Sem contar na clara inclinação ao misticismo e ao espiritismo, atacando o Cristianismo, sempre o mostrando de forma caricata pessoas que têm a fé cristã, enquanto estas religiões orientais são colocadas como virtuosas.

Há quem tenha se levantado contra estes abusos e desserviços, embora, por falta de educação e aqui falo de instrução e senso crítico, a maioria das pessoas vão consumindo a porcaria que lhes são veiculadas.

Em 1993, o falecido Cardeal, Dom Lucas Moreira Neves publicou, no JORNAL DO BRASIL, um famoso artigo sobre a televisão brasileira. Com o título de J’ACCUSE! (Eu acuso), Dom Lucas afirmava, entre outras coisas:

“Eu acuso a TV brasileira pelos seus muitos delitos. Acuso-a de atentar contra o que há de mais sagrado, como seja, a vida…”. “Acuso-a de disseminar, em programas variados, ideias, crenças, práticas e ritos ligados a cultos os mais estranhos. Ela se torna, deste modo, veículo para a difusão da magia, inclusive magia negra, satanismo, rituais nocivos ao equilíbrio psíquico.”
“Acuso a TV brasileira de destilar em sua programação e instalar nos telespectadores, inclusive jovens e adolescentes, uma concepção totalmente aética da vida: triunfo da esperteza, do furto, do ganho fácil, do estelionato. Neste sentido merece uma análise à parte as telenovelas brasileiras sob o ponto de vista psicossocial, moral, religioso [...]
“Qual foi a novela que propôs ideais nobres de serviço ao próximo e de construção de uma comunidade melhor? Em lugar disso, as telenovelas oferecem à população empobrecida, como modelo e ideal, as aventuras de uma burguesia em decomposição, mas de algum modo atraente”.
“Acuso, enfim, a TV brasileira de instigar à violência: A TV brasileira terá de procurar dentro de si as causas da violência que ela desencadeou e de que foi vítima [...]”.
E assim caminha nossa nação, nossa sociedade, enquanto nós literalmente assistimos às novelas, aos BBBs, e tantos outros programas que nada edificam, pelo contrário, trazem a nossa mente ilusões e enganos.

Não quero com este texto pregar o isolamento, ou mesmo a radicalidade que já houve em algumas denominações cristãs de proibir os seus fiéis de assistir televisão, contudo é importante que estejamos alerta, atentos e com um apurado senso crítico para selecionar a programação de TV a que assistimos. Como afirmou o Professo Leandro Lima, em seu livro de teologia bíblica, Cristãos no Século 21 - Os dilemas e oportunidades da época atual, dar audiência a programações nocivas, é entre outras palavras, concordar com o que se está sendo nocivamente transmitido.

Por fim, incentivo a você que me ler, a se voltar para a bíblia, ela sim, traz os valores e princípios, não só para um sociedade sadia, mas para uma vida plena, cheia de satisfação nAquele que é o nosso Salvador, Jesus Cristo, o Senhor. A Ele sejam dadas: A glória e a honra, hoje e sempre, amém!

"Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento." Filipenses 4:8

Um comentário:

Unknown disse...

Perfeito !!! Como cristãos temos que nos libertar dessa alienação Global !!! Como foi discutido em sala ontem, Estamos recebendo em nossos lares: homosexualismo, adultério, espiritismo ? O que estamos fazendo como cristãos, fomentando mais ainda essa alienação.